Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Terminei de fazer meu curso, e agora?

Terminei de fazer meu curso, e agora?

Agora que você chegou até aqui pode estar pensando: terminei de fazer meu curso, e agora? Agora vamos tentar vender o seu curso!

Plataforma de cursos ou venda própria

A menos que você tenha um site ou blog com muitos acessos prévios, recomendo que você utilize uma plataforma de terceiros para fazer a publicação do seu curso.

Claro que existem templates prontos para WordPress, além de plugins fantásticos de LMS, mas você tem que começar por algum lugar, eu recomendaria somente estes locais:

Existem plataformas brasileiras sim, algumas são até bem legais. Utilizei no início dos meus cursos a Hotmart, mas confesso que só comecei a ter sucesso quando passei a utilizar a Udemy.

Lembrando que todas as plataformas tem suas particularidades, sua comissão, e poucas delas dão acesso aos alunos, você até pode interagir com eles, de maneira restrita, mas nunca terá de fato acesso a listagem completa de alunos com seus e-mails por exemplo.

Para não ser injusto uma das plataformas até fornece isso, mas o preço dela é maior que as demais.

Ainda que isso pareça ser um problema, pense no seguinte, você prefere ter o controle total e absoluto de 100 alunos pagantes ou controle parcial sobre 2.000 alunos pagantes no seu curso?

Pois é, foi o que pensei… Primeiro um problema, depois outro. Faça algum sucesso e depois traga o problema de gerenciar sua própria plataforma (e todos os penduricalhos técnicos por sua conta).

Mas isso não significa que você não deve fazer seu próprio site ou blog, pelo contrário, sua divulgação é muito importante, inclusive na maior parte das plataformas, indicando alunos com seu link próprio, você ganha mais sobre seus próprios cursos!

Divulgação

Como falei antes, você precisa trabalhar para divulgar seus cursos. É quase como se você estivesse abrindo o seu restaurante, convidar familiares, amigos, vizinhos, colegas de trabalho e pagar para fazer alguma divulgação para que a estréia tenha o sucesso desejado.

Comece fazendo o que for possível, considere a lista abaixo como um ponto de partida ou uma sugestão para iniciar.

  • Crie um site, um blog ou pelo menos uma página de vendas, pode ser uma landing page;
  • Considere ativar uma ferramenta de email marketing imediatamente;
  • Crie publicações periódicas sobre o tema do seu curso, em algum tempo você será visto como especialista e o seu curso será uma extensão do seu domínio de conhecimento;
  • Participe de eventos onde puder divulgar seu curso, mas não seja chato;
  • Se puder dar entrevistas a respeito, dê todas que puder;
  • Utilize as mídias sociais a seu favor, considere uma página no Facebook, uma conta no Twitter, uma no LinkedIn e uma no YouTube;
  • Crie um podcast ou vídeocast, convide pessoas do mesmo nicho de atuação, debata, fale muito a respeito;
  • Crie ou participe de webinars;
  • Escreva sobre os problemas que as pessoas poderão resolver quando fizerem o seu curso, os benefícios mais diretos;
  • Solicite sempre que possível depoimentos de quem fez o seu curso, esse talvez seja a maior prova de que vale a pena ser feito.

Não esqueça de dar suporte

Publicar o curso é só mais uma etapa. Lembre-se que vai ser frequente receber mensagens, solicitações, dúvidas, esclarecimentos e reclamações por parte dos seus alunos.

Atenda todas elas da melhor forma. Não se importe com as pessoas que apenas tentam agredir você, melhor não dar atenção a isso.

Claro, se muita gente estiver reclamando sobre a mesma coisa, certamente é uma indicação que existe um problema a ser solucionado.

Fique atento e utilize as informações coletadas no suporte aos alunos para melhorar as suas aulas, são informações muito valiosas para não serem aproveitadas.

Considere uma versão gratuita ou light

Embora na maioria das plataformas você tenha que deixar alguns módulos gratuitos para efeitos de avaliação, imagine se tiver um curso muito longo, poderia ter uma versão simplificada gratuita?

Se isso for viável – cuide para não enganar o usuário – pode ser uma boa alternativa para divulgar o curso principal.

Nunca estará pronto

O curso ficará em permanente evolução, você precisa manter ele atualizado.

Meu primeiro curso tinha uma qualidade de áudio que me incomodava. Aproveitei depois que ele estava fazendo algum sucesso e refiz todas as aulas, melhorando outros pontos que vinha anotando durante o tempo que a versão 1 ficou no ar.

Pense nisso, evolução constante, novos módulos, novas avaliações, novos materiais para download, não existe limites para melhorias!

Dicas

  • Tentar identificar o perfil do aluno ideal;
  • Pensar muito na sua proposta de valor irresistível;
  • O nome do curso é muito importante;
  • Participe de Meetups sobre o assunto;
  • Oferecer uma garantia (a maior parte das plataformas faz isso automaticamente) conta pontos;
  • Se puder faça anúncios no Google;
  • Crie um grupo de discussão no LinkedIn ou no Facebook, mas cuide dele;
  • Pense eventualmente em traduzir seus cursos;

Outras postagens sobre educação a distância

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *