Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Como deixar seu blog em WordPress mais rápido?

O que mais tenho visto são blogs que demoram 5, até 10 segundos (e as vezes mais) para carregar completamente.

E o que conseguimos com isso é pior rankeamento nos mecanismos de busca, a chance de sermos menos encontrados, e muitos (muitos mesmo) visitantes desistindo no meio do caminho.

Então você já tem motivos para deixar o seu WordPress mais rápido, certo?

Como deixar o WordPress mais rápido?

  1. Hospedagem: você pode achar que hospedar gratuitamente vai economizar um bom dinheiro ao final de um ano. Mas já parou para pensar que pode ser o motivo de você não estar fazendo tanto dinheiro com seu blog? Existem diversos tipos de hospedagens, nem sempre o maior provedor é o melhor. Então utilize este post para saber mais e trocar sua hospedagem se for o caso. Lembre-se que se não consumir muitos recursos, memória RAM e largura de banda fazem toda a diferença para o seu blog. Quanto mais melhor. E também mais cara a hospedagem. Além disso uma boa hospedam minimiza problemas de ataques e invasões.
  2. O tema: o tema, theme, ou template, como preferir, pode estar entulhado de código, não ter sido otimizado adequadamente, e ainda ter dezenas de recursos que você não utiliza, mas estão lá, consumindo espaço e tráfego a cada vez que seu blog é carregado. Prefira temas mais leves. Comece com um bem leve e padrão, personalize. Se precisar de ajuda com temas olhe esta publicação aqui. Remova os temas que não estiver utilizando.
  3. Plugins: alguns são grandes vilões. Cuide e utilize sempre o mínimo necessário. Se o tema exige que você instale o Woo Commerce mesmo sem o utilizar, tem algo errado não? Tenha em mente isso, consomem recursos, e quanto menos, melhor.
  4. Imagens: percebo que muita gente vai procurar suas imagens originais no blog onde publicou anteriormente. Totalmente errado. Imagens gigantescas pioram muito o tempo de carregamento do seu blog. Utilize um plugin (gratuito ou pago) de compactação de imagens. Recomendo fortemente o Imagify. E especifique o tamanho máximo (largura) das imagens após o upload. Então o plugin redimensiona, cria as miniaturas, compacta e descarta o original (ou o mantém com o tamanho reduzido). Isso melhora sensivelmente o tempo de carregamento e facilita o backup do blog, sem comprometer espaço em disco.
  5. Utilize um plugin de cache: de arquivos estáticos, reduz a carga e tempo de carregamento das páginas, uma vez que estão disponíveis após terem sido carregadas anteriormente. Auxiliam muito na manutenção do blog e na performance. Se precisar de uma sugestão tente o WP Rocket.
  6. CDN: não deixe de instalar um serviço de CDN para cachear os arquivos estáticos mais perto dos seus leitores. Recomendo muito a Cloudflare, o plano gratuito já é fantástico. Além de melhorar a performance, minimiza ataques de negação de serviço, e permite a rápida troca de provedor de hospedagem eventualmente, pois você mexe diretamente no DNS deles, minimizando paradas desnecessárias e tempo de propagação.
  7. Cuide dos scripts e requisições: muitos scripts exigem mais tempo de carregmento, scripts externos impactam no tempo de carregamento do seu blog (fontes, analytics, anúncios, css, etc). Então tente manter ao mínimo, ou até minificar estes arquivos quando possível;
  8. PHP: dê preferência a utilizar sempre a última versão do PHP, neste momento é a 7.1. Consome menos recursos da sua hospedagem e está bem otimizada. Se alguma coisa parar de funcionar, é essa coisa que deve ser corrigida, e não o blog ficar nas versões antigas do PHP. Dê atenção especial a isso.
  9. Banco de dados: embora muita gente ainda ache que utiliza MySQL a verdade é que utilizamos alguma variação dele, como o MariaDB. É ótimo, prefira hospedagens com MariaDB, e discos SSD, fazem muita diferença na performance do banco de dados. Se consumir muito banco de dados pense em cache de banco de dados. Também é importante manter o banco de dados otimizado e limpo, versões de posts e páginas criam muitos dados adicionais. Utilize um plugin para este fim.
  10. Mantenha tudo atualizado: o core do WordPress, seus plugins, seus temas, sempre na última versão.
  11. Comentários: modere, sempre é bom ter muitos comentários, mas comentários demais demandam mais carga no WordPress. Quebrar comentários em páginas é uma boa alternativa se for o seu caso.
  12. Carregamento adicional: em alguns casos você pode manter ativado o “lazy load”, que pode ser uma propriedade do seu tema, ou mesmo do plugin de cache. Ele carrega imagens e scripts conforme a demanda, ao invés de carregar tudo na carga inicial da página. Mas deve ser testado, algumas coisas não funcionam adequadamente com lazy load. Teste antes de ativar de fato.
  13. AMP: seu blog precisa ter suporte a accelerated mobile pages ativado, vai carregar muito mais rapidamente nos dispositivos móveis, embora você vá perder no aspecto visual e no controle do layout. Mas é uma exigência do Sr Google para ranquear melhor você (e facilitar a vida dele não a sua), cuide disso.

Fique de olho, todo dia surge uma coisa nova, um plugin que era bom e ficou ruim, um tema que era ruim e ficou bom. Você precisará manter um olho sobre todos os aspectos listados acima.

Otimizar o blog para velocidade não é tão difícil, mas exige aperfeiçoamento constante e ajustes em tempo integral.

Dúvidas? Comente aí.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *