Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Previsões da Singularity University até 2038 (comentadas)

Previsões da Singularity University até 2038

Algum amigo me enviou esse documento muito interessante: Previsões da Singularity University até 2038.

E isso foi no início do ano passado. Não seria nada além de mais um documento lido e devidamente filtrado e catalogado, mas como percebi links em algumas palestras que assisti ainda em 2018, resolvi ir mais a fundo e quem sabe emitir uma humilde opinião.

2020

  • Internet 5G entrega velocidades de conexão de 10 a 100 gigabytes para dispositivos ao redor do mundo. Acho muito viável, mas não pense que aqui não vai custar muito e entregar muito menos no cenário atual (cartel?) das empresas de telecom.
  • Diagnósticos baseados em I.A. e recomendações terapêuticas serão usadas na maioria dos centros médicos americanos. Muito interessante, vou até além, não duvido que aqui não cheguemos a algum tipo de serviço deste tipo. Não que não haja algum tipo de disputa judicial, mas um diagnóstico prévio baseado em I.A. pode ser muito melhor que nenhum diagnóstico. O paradigma precisa mudar primeiro.
  • Carros voadores entram em operação em algumas cidades. É pode ser que sim, mas eu realmente duvido muito.

2022

  • Impressoras 3D conseguem imprimir roupas e materiais para montagem de casas e prédios. Isso na verdade já ocorre na estação espacial, em alguns países do oriente e ásia, e a própria HP já tem uma divisão muito desenvolvida de equipamentos, além de grandes fabricantes como a própria Boeing estarem testando o conceito. Imaginem como isso vai mudar tudo em alguns anos. Vamos comprar a matéria prima para produzirmos muitas coisa sob demanda.
  • Robôs domésticos se tornam normais em alguns lares, sendo capazes de leitura labial, reconhecimento facial e de gestos. Acho que sim. Não espero que isso se resuma ao aspirador de pó da LG, e que realmente agregue valor e diminua nosso trabalho braçal do dia a dia.
  • Robôs conversam naturalmente e atuam como recepcionistas e assistentes em lojas e escritórios. Alguma dúvida? Apple, Google, Amazon e Microsoft estão avançadíssimas nessa área. Os bots estão por todos os lados. Nada mais natural que colocar uma interface física e disponibilizar serviços automatizados o tempo todo e em muitos lugares.

2024

  • As primeiras missões privadas para Marte são lançadas. Certamente que isso ocorrerá. Não sou muito fã da ideia, mas isso vai ocorrer.
  • O número de vôos de drones diários chegará a 10.000.000 (100x mais do que hoje). Acho apenas um equívoco, afinal temos drones de todos os tipos, não apenas os que voam. Então o número tende a ser muito maior.
  • Drones entregarão pacotes e robôs de superfície encaminharão os pacotes na porta do destinatário. Pode ser, lá fora, aqui ainda vai demorar para não levarem os drones, robôs e os pacotes.
  • Os primeiros contratos de fornecimento de energia solar e eólica a um centavo/KwH serão fechados. Certamente, mas aguardo isso para bem antes. Não tem mais volta e nenhum motivo para não ser desta forma. Estamos desperdiçando tempo e recursos.
  • As vendas de veículos elétricos compõe metade das vendas totais de automóveis. Certamente, isso se não ocorrer mais rapidamente, talvez até mais do que 50%.
  • Lidar com IA aumentada é considerado um requisito para a maioria dos empregos. Pode ser, mas não se preocupe em encontrar um curso para se aperfeiçoar, vai ser muito mais fácil, pode aguardar.

2026

  • A posse de carros sai de moda, veículos autônomos dominam as estradas, e pessoas transitam nas mega cidades em veículos de decolagem e aterrisagem vertical. Acho que pode sim, isso de fato está mudando, muita gente acha que possuir um carro não faz mais tanto sentido. E a maneira como você vai ser conduzido, dirigindo, sendo levado, por outra pessoa, entidade ou assistente virtual tende a ser mais adequada.
  • Agricultura vertical essencial para produzir comida para os 8 bilhões de habitantes do planeta, que se conectam na Internet à 500 Mbps. Além de usarem dispositivos gratuitos em troca dos seus dados pessoais e direitos de e-commerce. Nem sei se preciso comentar.
  • Realidade virtual onipresente. Os pais reclamando dos seus filhos estarem em outro universo. Certamente, agora ficaremos meses sem conversar com nossos filhos.

2028

  • Energia solar e eólica representa quase 100% do consumo mundial. Nunca duvidei disso!
  • A demanda mundial por petróleo chegou ao seu auge e parece começar a decrescer. Não esqueçam que a petroquímica precisa disso.
  • Robôs terão relacionamentos reais com as pessoas, dando suporte aos idosos, cuidando da higiene pessoal e preparação de alimentos. Muito pertinente, muita independência, menores custos de gestão de pessoas idosas e mais facilidades em eventuais emergências.
  • Robôs para relações íntimas passam a ser populares. Ver para crer. Mas tudo é possível, detector de metais portátil para identificar robôs se passando por humanos. 😉

2030

  • A maioria dos profissionais humanos tiveram alguma modificação cortiçal, como coprocessadores e comunicação web em tempo real. Pois até lembrei do Johny Mnemonic, se você não sabe quem é dê uma pesquisada.
  • Robôs avatares se tornam populares, permitindo que qualquer um possa teleportar sua consciência para locais remotos em todo mundo. Até deu medo, imagina sua conexão caindo durante o transporte dos dados… Ou você clonado. Weird.
  • Robôs são comuns em todos os locais de trabalho, eliminando todo trabalho manual e interações repetitivas (guias turísticos, recepcionistas, motoristas e pilotos, serventes e construtores). Acho que possivelmente. E acho que isso não vai significar menos empregos para humanos, pelo contrário.

2034

  • Empresas como Kernel fazem conexões significativas entre o córtex humano e a nuvem. É possível, resta saber se é necessário.
  • Muitos problemas mundiais são solucionados (ex.: câncer e pobreza). Certamente que isso vai acontecer em algum momento. O câncer primeiro, infelizmente.
  • A IA consegue solucionar problemas científicos complexos que requerem alto nível de realidade aumentada para entendimento. Isso é o que vai fazer tudo valer a pena certo?

2036

  • Tratamentos para longevidade se tornam disponíveis rotineiramente, estendendo a vida das pessoas comuns em 30 a 40 anos. Eu não quero, bem, quem sabe, daria para conhecer mais algumas gerações da família, visitar muitos lugares novos, produzir muito conteúdo…
  • Cidades inteligentes escalam globalmente; são hiper eficientes em utilizar energia solar, produzir e distribuir alimentos, oferecer segurança e transporte eficiente. A China vai liderar, escrevam aí!

2038

  • O dia a dia já não é mais reconhecível – a realidade virtual e inteligência artificial alavancam todas as partes da vida humana no mundo inteiro. Espero que não, tive uma visão sombria.

Quer saber mais? Olha lá.

Tem alguma dúvida ou certeza? Comenta aí embaixo.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *