Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Acessibilidade

Acessibilidade

Infelizmente, e não é de hoje, a acessibilidade da maioria esmagadora dos web sites é sempre ignorada. E eu não sou exceção à regra.

Pouco tempo atrás, uma pessoa, com necessidades especiais me contactou, pelo formulário aqui do blog, disse que tinha gostado da maioria dos conteúdos que tinha acessado e lido, mas que se o site fosse melhor no quesito usabilidade seria ótimo para pessoas como ele.

Eu, na minha ignorância (ou arrogância) achando que estava tudo certo, pois ele tinha lido e gostado, ao final do e-mail enviado pelo rapaz entendi que ele era cego.

Isso me desconcertou, eu fiz alguns testes, e o blog peca em muitos aspectos de usabilidade, principalmente para pessoas com necessidades especiais. Simples assim.

Fiz alguns testes, tentei implementar algumas ferramentas para melhora isso, por exemplo, uma que sintetizava os textos para quem não podia facilmente ler, e ela funcionava relativamente bem, o problema é que era uma âncora, realmente atrasava o carregamento do site em mais de 6 segundos.

Não poderia deixar funcionando desta maneira, criei uma linha de pesquisa, e quando tiver massa crítica suficiente vou publicar algo sobre isso, focado em WordPress e sem prejudicar a performance do site, esta na planilha já.

Não desisti disso, passei a respeitar mais e olhar melhor para esse ponto. Não deveria ter esperado uma mensagem desta me alertar sobre como melhorar. Falha minha.

Mas e a usabilidade dos sites dos nossos clientes?

Importante lembrarmos que poucos clientes (e agora falando de pequenos e médios), vão demandar algo específico no checklist do novo projeto que estamos orçando ou executando.

Além de termos obrigação de lembrar destes detalhes, é importante saber que UX do site também pontua nos rankings dos mecanismos de buscas, então é algo interessante a ser considerado.

Você precisa pesar custo / benefício e oferecer uma alternativa viável aos seus clientes.

Ainda que em outros países temos legislação específica sobre isso, uma empresa pode ser penalizada por não ter seu site acessível a todos, pense nisso quando estiver trabalhando para o exterior.

Eu embora utilize e goste, não sou especialista em UI / UX mas é fundamental ter alguma preocupação com todos os pontos que podemos melhorar.

Alguns clientes não vão lhe dar ouvidos, não tem cultura ou preocupação com os outros, neste ponto importante. Vai ter que partir de você educar neste sentido.

Ferramentas de auditoria de acessibilidade

Existem muitas, algumas se destacam, lembrei do Wave, teste seu site lá e sinta o tijolo chegando. No post específico vou colocar mais ferramentas que encontrei.

Lembre-se que o Google também fornece sugestões para acessibilidade, mas de novo, não vá ficar paranóico.

Para quem quiser ir a um nível adiante, pode criar testes e automatizar com o acessiBe. Mas é caro.

Finalizando

A auditoria constante, uso das melhores práticas, elementos visuais adequados, boas práticas de SEO, já são melhorias para quem quiser começar a se preocupar com acessibilidade.

Então comece a pensar nisso e a incluir nos seus projetos. Os 2 bilhões de pessoas no mundo com algum tipo de dificuldade agradecerão!

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *