Empreender do zero

Eu bem que poderia ter chamado esse post também de empreender do zero com pouco dinheiro, o momento é oportuno, mas vamos aos fatos.

Eu empreendia desde os tempos da escola, e estou falando de 1988, colocava sonorização em festas, fazia alguns trabalhos gráficos para algumas pessoas e aí as coisas começaram a se movimentar.

Era fácil compreender a ligação entre cliente satisfeito e o dinheiro entrando, da mesma forma que era possível entender que com as pretensões empreendedoras vinham as grandes responsabilidades, afinal, além do cliente, outros dependiam de mim.

Como empreender online e com pouco dinheiro

Muita gente procura na web por fórmulas, arquivos PDF e vídeos sobre “a receita mágica” do empreendedorismo. Não queiro falar verdades fortes, mas essas receitas não existem.

O que existe é um equilíbrio entre vontade / necessidade do público / timing da coisa, e é aí que você pode fazer a diferença.

Eu sempre comecei a maioria dos meus empreendimentos com nada ou pouco mais de nada, a única coisa abundante era a vontade (ou teimosia) que nos move incessantemente.

Existem muitos empreendedores que compartilham, vou até colocar aqui um esquema que o Richard Branson compartilhou algum tempo atrás e eu fiz um mapa mental para facilitar.

Pode parecer simplório, mas é um bom ponto de partida se você não tem ideia alguma de como começar. Já pensou que pode resolver seus problemas – e esses problemas podem afetar milhares de pessoas mundo afora – e ainda ganhar dinheiro com isso?

Parece que atualmente existem diversos motivos para as pessoas começaram um novo empreendimento, creio que a pandemia ajudou a motivar as pessoas, por exemplo:

  • Melhorar a renda;
  • Equilibrar trabalho / família;
  • Vender conhecimento online;
  • Criar novos modelos de negócios;
  • Melhorar estratégias de vendas de produtos e serviços existentes;
  • Aumento do uso da tecnologia;

Por si, o aumento dos empreendedores já cria um mercado adicional, pense que boa parte desses novos empreendedores precisarão de marcas, web sites, materiais gráficos, marketing, redes sociais, fornecedores de produtos e serviços no geral, a lista é interminável.

Por outro lado, existem os pontos negativos que também forçam os empreendedores a lançar mão de suas ideias neste momento:

  • Medo de perder ou ter perdido o emprego;
  • Não conseguir se recolocar adequadamente;
  • Necessidades de contato com outras pessoas;
  • Gerar mais renda para si e para sua família neste momento;
  • Algum tipo de incentivo do governo que deixou de receber;

E por aí vai. Mas vamos focar na parte boa, que nos move mais. Mas independente da motivação (pontapé inicial) temos os desafios normais dos empreendimentos:

  • Consumidor / mercado retraído nos gastos;
  • Corte de custos;
  • Encontrar consumidores e canais de vendas;
  • Entender o mercado e as nuances de onde vamos atuar;
  • Ter conhecimento suficiente para empreender, produzir, vender e suportar a operação.

Ah então é muito difícil, devo desistir?

É claro que não!

Ser pequeno é uma grande vantagem quando se começa, não temos compromisso com nossos erros e falhas, podemos mudar e ajustar mais facilmente e seguir em frente, pense nisso.

  • Aproveitar o seu tamanho e se diferenciar da concorrência mesmo em mercados saturados;
  • Explorar novas oportunidades sem medo ou vergonha nenhuma de errar;
  • Diferenciar sua oferta de produtos e serviços;
  • Colocar mais ênfase no canal de atendimento aos usuários;
  • Monetizar seu conhecimento de formas alternativas;
  • Focar nas fraquezas dos concorrentes conhecidos;

Se as pessoas e empresas mudaram seus hábitos durante a pandemia, então comece ajustado para a nova realidade, você não tem compromisso com os erros dos outros!

Começando a empreender, com pouco dinheiro, então você já tem uma certeza neste momento, qualquer coisa que você faça tem que ser online!

  • Online, site, redes sociais, atendimento online, email marketing, completamente online, entendeu?
  • Crie, produza e compartilhe conteúdo. Bom conteúdo ajuda a vender;
  • Monetize seu conhecimento e sua experiência;
  • Foque no cliente, retenção e suporte;
  • Construa o relacionamento de maneira correta e honesta;
  • Invista algum $ em anúncios online, mas comece pequeno e meça os resultados.

Existem milhares de ferramentas que você pode utilizar – gratuitamente – quando estiver começando, para construir seu negócio. Mas depois que começar a faturar, lembre-se das empresas que ajudaram você e valorize também o negócio delas.

Ideias para empreender começando do zero

Ainda que existisse uma fórmula mágica, não seria facilmente aplicada a todos os tipos de empreendimentos, precisamos pensar o negócio como um todo.

  • Como chamar a atenção dos clientes e prospects?
  • Como quebrar os padrões do mercado e se diferenciar?
  • Para onde o cliente está olhando?
  • Como me comunicar adequadamente?
  • Meus produtos e serviços estão ajudando meus clientes?
  • Meus produtos e serviços fazem sentido?
  • A dor do cliente está sendo tratada?

Deixar de trabalhar em uma empresa e virar freelancer pode ser uma alternativa, mas não pense que será fácil, mesmo tendo experiência e habilidades.

Começar desta forma como um negócio secundário até criar corpo, parece a melhor abordagem, pense nisso antes de largar tudo.

Lembre-se das pegadinhas:

  • Cobre direito;
  • Elimine clientes que não valorizam ou não querem pagar;
  • Cuide dos bons clientes;
  • Se especialize;
  • Defina os valores por projeto, cuide com o “valor/hora”;
  • Comercialize-se o tempo todo!

E para começar, que tal vender serviços ou conhecimento?

  • Consultoria online (na sua área de atuação);
  • Freelancer (na sua área atual de atuação);
  • Comércio eletrônico (vender produtos de terceiros) pode ser uma ideia interessante, mas cuidado com as pegadinhas;
  • Comércio eletrônico de produtos (afiliado);
  • Produtos digitais (cursos, workshops, eventos ao vivo) sobre assuntos que você já domina;
  • Desenvolvimento de software (se for a sua área de atuação), pode facilmente conseguir aumentar seus ganhos nesta área, inicialmente como trabalho secundário, prestando serviços em marketplaces de nicho ou diretamente para clientes;

São algumas sugestões iniciais. Vou seguir atualizando aqui, se tiver dúvidas e sugestões, pode enviar!

Imagem padrão
Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.

Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).

Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora

Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.

Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.

Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.

Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

Artigos: 358
Translate »