Como agir em momentos de crise

Antes de mais nada este post é baseado em parte num webinar que falava justamente sobre Como agir em momentos de crise, feito pelos cobras da StartSe.

Tive a oportunidade de assistir à diversos webinars durante a pandemia, não somente com especialistas do mercado, mas principalmente com a experiência deles.

Uma parte dos sócios da StartSe veio da XP, e eles passaram a crise de 2008 e agora, para quem não sabe, a StartSe é uma empresa focada em cursos de excelência, mas presenciais.

Não preciso dizer o que o impacto da quarentena causou no negócio deles.

Ao invés de fechar as portas e ficar se queixando nas redes sociais, baixaram a cabeça e rapidamente pivotaram o modelo de negócios, mas isso fica para outra postagem, vamos agora falar sobre o que eu entendi do webinar.

Como agir em momentos de crise

Se não me falha a memória o Mauricio Benvenutti estava acompanhado do Pedro Englert e de Junior Bonelli, e o que deu para captar nesse webinar importante foi o seguinte.

  • Senso de comunidade: não se faz mais algo para as pessoas, se faz algo com as pessoas;
  • O simples convence: faça as coisas de maneira simples, mas vá lá e faça;
  • Crises são recorrentes: crises mudam o curso de profissões, indústrias e economias inteiras;
  • Seja maníaco por custos: ative o módulo lunar de sobrevivência, só o que for necessário;
  • Expandir em vez de contrair: cuide o custo da oportunidade;
  • Se preocupar só com o que está por vir: proteja o que você tem;

O que eles fizeram na XP Investimentos em 2008

  • Crise é um ritual de passagem que nos força a desenvolver novas oportunidades;
  • Se preparem para o pior e façam o seu melhor;
  • Ficar mais próximo dos clientes;
  • O capitão vai para a frente do barco;
  • O cliente só precisa de ajuda;
  • Criar novas oportunidades no novo cenário;
  • De que maneira posso melhorar o processo?
  • É na crise que a gente se desenvolve;
  • É na crise que as melhores ideias aparecem;
  • É em crises que damos o nosso melhor;
  • Em crises não ganha quem oferece o melhor preço, mas quem oferece “valor”;
  • Sair maior dessa situação não está no nosso controle mas sair melhor está;

O que a StartSe fez na crise de 2020?

  • Aplicando o HOPE;
  • Humildade;
  • Otimismo;
  • Protagonismo;
  • Execução;
  • Fazer e testar rapidamente as mudanças;
  • Planejar executando;
  • Ir para o mercado;
  • Testar e corrigir e ir de novo;

Sugestões da Social Media Examiner para momentos de crise

O artigo “Como repensar sua forma de pensar para o crescimento do negócio”, de Duncan Wardle, publicado no site Social Media Examiner, fala sobre a importância de uma mudança de mindset para obter sucesso nos negócios.

Wardle foi vice-presidente de criatividade e inovação na Disney, e compartilha suas experiências de como a empresa transformou seus parques temáticos em uma das maiores e mais bem-sucedidas marcas do mundo.

Ele argumenta que a maioria das pessoas tem uma abordagem linear para resolver problemas, o que pode ser limitante para o crescimento dos negócios. Em vez disso, ele sugere uma abordagem mais aberta, não convencional e criativa para encontrar soluções.

Uma das maneiras de fazer isso é através do método “Porquê? E se?”, que consiste em fazer uma série de perguntas para desafiar as suposições e pensar fora da caixa. Essas perguntas podem levar a novas ideias e insights que não teriam sido descobertos de outra forma.

Wardle também enfatiza a importância de mudar a perspectiva e ver as coisas de um ângulo diferente. Ele sugere que os empreendedores tentem olhar para as coisas do ponto de vista de um cliente, fornecedor ou concorrente, para obter uma visão mais ampla e encontrar novas oportunidades de negócios.

Outra estratégia para estimular a criatividade é através da colaboração. Wardle acredita que as ideias mais inovadoras surgem quando diferentes perspectivas são combinadas, e incentiva os empresários a trabalharem com pessoas de diferentes áreas e níveis hierárquicos dentro de sua organização.

O autor também destaca a importância de experimentar e correr riscos no processo de inovação. Ele sugere que as empresas criem um ambiente onde a experimentação seja incentivada e as falhas sejam aceitas como parte do processo de aprendizado.

Por fim, Wardle enfatiza que a criatividade e a inovação não são habilidades inatas, mas podem ser desenvolvidas por meio de prática e treinamento. Ele encoraja os empresários a dedicarem tempo e recursos para treinar suas equipes em habilidades criativas e incentivar um ambiente de colaboração e experimentação.

Em resumo, o artigo de Duncan Wardle oferece uma visão inspiradora sobre como repensar a forma de pensar para estimular a criatividade e a inovação nos negócios. Ele apresenta estratégias práticas para desafiar as suposições, mudar a perspectiva, colaborar e experimentar, e incentiva os empresários a treinarem suas equipes em habilidades criativas para obter sucesso no mercado competitivo de hoje.

Gestão em tempos de crise

A ideia do post surgiu no webinar de mesmo nome, Gestão em tempos de crise, organizado pela ABRADi, onde pude assistir ao Silvio Soledade, Maria Amalia Moreno, Claudio de Carvalho e Jailson Roberto Alves falando sobre o assunto e acrescentando pontos importantes.

Também acrescentarei pontos de outros webinars e palestras que assisti nos últimos meses e que se relacionam com este assunto.

Incertezas

Nosso momento atual é de crise aguda. Estamos rodeados de incertezas, não temos ideia do que vai acontecer, nem num cenário de 90 dias, nem mais além, sabemos que temos que buscar algum tipo de equilíbrio, utilizar os dispositivos legais que estiverem ao nosso alcance, aplicar a teoria da imprevisibilidade, mas também termos algum tipo de fé.

Nossas empresas e as empresas que nos relacionamos

É importante neste momento não tirarmos vantagem da situação sobre os que estão mais suscetíveis às mudanças, preferencialmente buscarmos resolver os problemas sem auxílio jurídico, com base na boa fé das relações, utilizarmos as contingências previstas em lei e em contratos, entender o quanto o nosso cliente ou fornecedor também está sendo impactado, manter a relação o mais transparente possível, flexibilizar o que era mais rígido, cuidar com as instituições financeiras que estão se aproveitando do momento sobre nós todos, mantermos as informações financeiras de nossas empresas muito organizadas, com esses mesmos bancos e com nossos contadores, e buscar sobretudo mais aproximação com nossa equipe e com nossos clientes.

Importante lembrar e manter que precisamos de engajamento de empresas e equipes, melhoria de performance e processos, transformar muito desejo em ação, lembrar que o valor não está só nos números dos resultados financeiros, mas nas pessoas.

Pessoas

As mudanças estão pressionando profundamente as relações humanas. E para isso temos que ser mais flexíveis e entender melhor nossos semelhantes.

Buscar entender que todos somos iguais, mas temos muitas diferenças, até no tratamento neste momento é preciso ter a sensibilidade que o momento exige.

Nunca mais seremos os mesmos, mesmo.

Importante lembrar que mudamos de uma sociedade industrial para uma sociedade de conhecimento, de um momento simples para um momento complexo, de uma situação controlável para algo que fugiu totalmente de nosso controle, éramos mais lentos na reação e precisamos ficar muito mais rápidos, e o nosso mundo estável se tornou muito instável em poucas semanas.

Muita gente trabalha de maneira esplêndida remotamente, mas não é assim com todos, nem todos tem um local apropriado ou infraestrutura adequada para trabalho remoto.

Precisamos sim cobrar resultados, mas isso envolve disciplina, estímulo adequado e apoio de todos os tipos por parte das empresas aos indivíduos.

O cliente está lá fora

  • Lembre-se de quem é o cliente, o negócio dele;
  • Diálogo aberto desde o primeiro dia de crise;
  • Construir e melhorar o relacionamento fortalece durante a crise;
  • Comunicação interna afeta a percepção do cliente;
  • Alinhar propósito, roteiro e medidas de sucesso;
  • Entender o DNA da marca e como vai ser agora;
  • Reagir executando medidas necessárias;
  • Manter clientes é até 5X mais baratos do que atrair novos;
  • Estratégias de vendas, engajamento e aquisição orgânica, manter e crescer na crise mesmo que pouco é importante;
  • Preparar o financeiro para o pior cenário;
  • Alinhar e engajar o time que sobrou;
  • Novos padrões de consumo serão estabelecidos;
  • O modelo de negócio vai mudar, o meu e o seu;

E então?

Eu tentei auxiliar meus clientes durante a crise profunda, dormi muito menos, bebi mais, me exercitei menos, pensei muito, buscando alternativas, sugerindo na medida do possível ações para eles terem opções.

Não foi uma coisa fácil buscar o sucesso naquele momento com toda a certeza, mas tivemos sucesso!

Webinar da Startse

Recomendo que você busque informações da StartSe sobre a série de webinars ReStartSe interessantíssimos para este momento e assista os que fizerem sentido para você e para a sua organização.

Meu vídeo sobre este tópico

Fiapo
Fiapo

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.

Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).

Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora

Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.

Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.

Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.

Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 27 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

Artigos: 330