Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Causo da Apple

Lá por volta de 1996, eu e meus sócios na Appoint, empresa que desenvolvia aplicações multimídia, resolvemos evoluir tecnicamente, passando a ter acesso ao suporte e informações técnicas de nossos principais fornecedores, elencamos assim Adobe, Macromedia, Microsoft e Apple.

Afinal, além dos softwares você pode se tornar desenvolvedor (por uma pequena taxa…) tendo acesso a informações técnicas em primeira mão, além de suporte rápido quando necessário. Tudo de vento em popa com as primeiras três, o resultado foi até acima do esperado, informações freqüentes, atualizações, patches em primeira mão, testes de softwares e novidades antes de chegarem ao mercado, e por aí vai.

Porém na Apple o momento não era propício, o Steve Jobs tinha trazido um cara, John Sculley se não me falha a memória, um cara legal, trabalhou em grandes companhias antes, e depois tirou o próprio Jobs da empresa. Apesar de ter ficado 10 anos a frente da Apple, em 1995 ele é saído, entra em cena o Gil Amelio, também cheio de molduras na parede da sala.

Porém a estratégia de permitir que outras empresas vendam clones autorizados não foi a melhor, e a Apple mergulhou numa grande crise financeira. Essa crise em 1996 me fez adquirir a caneta mais cara da minha vida, custou US$ 1.000,00. Não que eu quisesse uma caneta roller-ball com o logo da Apple (ainda era o colorido), mas foi a única coisa que recebi até quase o final de 1997, referente a ter me tornado desenvolvedor da Apple…

Foi complicada a coisa, mas a partir dali eles começaram a mandar os materiais na frequência esperada, inclusive prorrogaram a minha inscrição por um bom tempo depois do ocorrido.

O mais interessante que desenvolvíamos em Director e Authorware na época, e frequentes eram os trabalhos que faziamos tudo no mac e geravamos os “projectors” (executáveis) no mac para depois rodar no PC. Era melhor, mais fácil, e normalmente tudo funcionava bem. Assim como captura e edição de vídeo não linear, não tinha como fazer direito no PC, o mac levava vantagem.

Até compramos depois do primeiro PowerMac um clone da APC com um processador PowerPC 603, ótima máquina, já com diversos elementos mundanos de PC, como drives IDE, barramento PCI e por aí vai.

Finalizo esse dizendo que fiquei com cacotes de ter usado Mac um tempo, necessidade de utilizar um desktop maior (com dois monitores) e sempre tentava fazer as coisas fáceis do MacOS no Windows, nem sempre com sucesso.

Depois disso larguei de mão total, fiquei anos sem ter contato com qualquer tralha da Apple, mesmo o iPod, só voltei a mexer nisso recentemente porque a empresa me deu um iPhone. Então comecei a furungar mais. Me deu uma saudade de desenvolver algumas coisas, confesso que fui pesquisar a renovação da minha licença de Apple Developer, mas primeiro vou ter que me coçar e comprar um iMac ou um MacBook.

Mas o resultado disso eu conto em outro post…

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *