500 anos da Reinheitsgebot: Lei da pureza da cerveja

Antes de falar em 500 anos da Reinheitsgebot e lei da pureza da cerveja, vou explicar a motivação deste post, em 2008 prestei serviços para uma pequena fábrica de cerveja artesanal, indicada pelo meu contador na época.

Conversamos, ganhei um cliente, e depois um amigo e passei a me enveredar pelos caminhos até então obscuros do universo artesanal. A pequena cervejaria chamava RSW Abadessa, e o seu mestre cervejeiro Herbert Schumacher me mostrou o lado bom da cerveja, prosit!

A partir daí comecei a me interessar e me ocupar em provar sempre que possível uma boa cerveja, quando dava verificando a origem e a história da mesma, até tem App e livro para ajudar.

Mas para quem não sabe a história das boas cervejas começa de fato muito tempo atrás!

A Reinheitsgebot, ou “exigência da pureza”, nome dado ainda no século 20 para a lei promulgada em 23 de abril de 1516, por Guilherme IV (Wilhelm IV of Bavaria), Duque da Baviera, e que valia então somente para lá, não era uma lei da Alemanha de fato! Há quem diga ainda que ela vem de antes dessa época!

Guilherme IV Duque da Baviera - Wilhelm IV of BavariaÉ bom lembrar que antes disso já existiam leis parecidas em Ausburg 1156, Nuremberg 1293, Munique 1363 e Resenburg em 1447, assim como em 1487 o Duke Albrecht IV criou uma regulamentação que só permitia em Munique que fossem utilizados apenas malte, água e lúpulo na fabricação das cervejas locais.

A necessidade da lei se fez a partir de “aditivos” que começaram a ser inseridos na fabricação da cerveja naquela época, porém há quem diga que a manobra de Guilherme IV foi puramente econômica, um golpe sobre a família Eggenberg, que detinha o monopólio da cerveja mas também visava diminuir o poder de fabricação de cerveja da Igreja Católica na época.

Também se especula que na época existia pouca oferta de trigo e centeio, e que estes deveriam ser ocupados apenas na produção de pães para o povo.

Enfim, água, malte e lúpulo. Depois com o passar do tempo vieram modificações na lei, leveduras foram permitidas, adição de açúcar e outras particularidades que permitem a maravilha da diversidade que temos hoje no universo cervejeiro.

É importante lembrar que tem muita cervejaria que coloca em letras garrafais que segue a lei da pureza na fabricação da sua cerveja, até as industriais, só esquecem de colocar que os aditivos utilizados na fabricação anulam a lei…

Isso sem falar que a lei atualmente vale para a Alemanha, não vale nem para cervejeiros caseiros alemães. Aliás outro ponto interessante que descobri na minha pesquisa foi que a própria Alemanha que inventou essa de cerveja produzida a partir de arroz no século passado…

Alguns produtores de cerveja vão além, pois o básico para se produzir cerveja é a água, e boa água não é facilmente encontrada em qualquer lugar, então cervejarias eventualmente tem que corrigir as características da água (isso aprendi com o Herbert Schumacher), o que eventualmente inviabiliza seguir a lei da pureza, pois como se corrige água sem adição de elementos?

Já seguindo essa linha, algumas cervejarias lançaram a corrente da cerveja impura, a resposta brasileira criou o Dia da Cerveja Impura.

Se tiver curiosidade leia a tradução do Reinheitsgebot na íntegra:

reingeitsgebotPela presente nós proclamamos e decretamos, pela autoridade da nossa província, que de agora em diante no Ducado da Baviera, neste país bem como nas cidades e mercados, as seguintes regras se aplicam na venda de cerveja:

De Michaelmas a Georgi, o preço de um mass (Caneco Bávaro de 1, 06 litros) ou um kopf (recipiente com volume semelhante), não poderá exceder o valor de um pfenning. De Georgi a Michaelmas, o mass não pode ser vendido por mais de dois pfenning e o kopf não mais do que um e meio pfenning.

Caso isso não for respeitado, a punição indicada abaixo será administrada:

Qualquer cervejeiro ou pessoa que comercialize cerveja que não for do mês de março não poderá vendê-la por mais de um pfenning cada mass. Além disso, nós enfatizamos que no futuro em todas as cidades e mercados do país os únicos ingredientes utilizados na fabricação de cerveja deverão ser malte, lúpulo e água. Qualquer pessoa que deliberadamente descumprir ou transgredir esta ordem deverá ser punido pelas autoridades competentes através do confisco dos barris de cerveja, sem falta.

Pode, entretanto, um dono de pousada no país, cidade ou mercado comprar dois ou três barris de 60 litros e revendê-los aos camponeses comuns. Somente para este será permitido adicionar meio pfenning para cada mass ou kopf do que foi mencionado acima.

Ademais, caso aconteça uma escassez e um subseqüente aumento do preço da cevada (também considerando os diferentes locais e tempos das colheitas), Nós, do Ducado da Baviera teremos o direito de ordenar reduções para o bem de todos os aflitos.

Assinado: Duque Wilhelm IV da Baviera, 23 de Abril de 1516 em Ingolstadt.

E para fechar

Fico com Sandra Ganzenmueller, sommelier especializada em cervejas e porta-voz da associação do setor na Alemanha, tecnicamente a limitação aos conteúdos originais em si não melhora nem piora o sabor da cerveja. “O importante é que seja uma bebida harmoniosa, mesmo que tenha ingredientes adicionais”.

Uma boa cerveja

Fato né? O importante é que seja boa!

Gostou? Deixe seu comentário aí.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

For security, use of Google's reCAPTCHA service is required which is subject to the Google Privacy Policy and Terms of Use.

I agree to these terms.