Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

O que evitar no e-mail marketing

Desculpas

Não temos tempo, recursos, conhecimento para fazer nosso e-mail marketing. Não temos tempo para verificar relatórios. Ok, para a primeira demanda (tempo) colocamos templates novos periodicamente para você utilizar. Para a segunda (recursos) você tem relatórios bem detalhados nas nossas ferramentas, é só acessar e imprimir se quiser. Você precisa ter tempo para criar conteúdo, enviar e medir o resultado, senão tem alguma coisa errada. Ainda assim se você quer profissionalizar existem empresas especializadas em criar conteúdo e outras especializadas em criar códigos responsivos e exclusivos para suas demandas e outras ainda que cuidam das métricas e mensuração de resultados.

Frequência

Temos exemplos de clientes que enviam diariamente para sua base de clientes, com baixas taxas de descadastro, baixo índice de denúncias de spam e grande taxa de visualização/cliques. Chegando inclusive a interferir diretamente no faturamento da empresa caso um envio não saia ou saia em horário diferente. Como fazer isso? Conhecendo a audiência, garantindo que a base é opt-in, se tornando relevante e entregando algo que o usuário precise ou ache que precise, conhecendo a frequência correta. Isso normalmente funciona com bases muito engajadas. Dificilmente isso ocorrerá numa base que não tenha sido construída segundo as boas práticas. Então, somente analisando cada envio você vai saber se está acertando/errando na frequência. Não abuse da confiança do usuário. Mas tenha em mente que a periodicidade adequada é fundamental para o bom relacionamento com os usuários. Outra dica é criar um calendário de envios e segmentar um pouco mais os destinatários.

Relevância

O usuário pediu? Não envie a promoção da camisa do Grêmio para torcedores do Internacional. Entregue algo que seja útil, que seja relevante, faça o usuário perceber o quanto ele realmente é importante para sua empresa.

Abuso

Não envie para quem não quer receber. Se alguém nunca se cadastrou para receber e-mails da sua empresa, porque ele deveria se descadastrar? Não compre bases, não envie para e-mails que não foram coletados por você. A tentação é grande, eventualmente dá resultado, mas o prejuízo para a sua marca e infraestrutura de envio é muito maior do que a falsa sensação de retorno. Respeite. Uma denúncia de spam feita por uma pessoa da área de TI de uma empresa do exterior que desconhece o Brasil que não nunca quis saber nada sobre seu produto pode causar muito estrago para as iniciativas online da sua empresa. Respeite o usuário. Não é seu, não envie. Nunca envie e-mails sem permissão. Não existe envio de parceiro, Pet Shop não é loja de equipamentos de mergulho, não tente isso, não vale a pena.

Opt-out

Ah perdi o cliente, então vou dificultar o opt-out. Não mesmo. Utilize sempre o recurso de perguntar o motivo do descadastramento. Ali você terá informações valiosas do seu usuário. Inclusive eventualmente pode ser um descadastro temporário. Ou eles vão lhe indicar que sua frequência está um pouco abusiva. Aproveite os dados coletados para melhorar a sua performance. E se o usuário quer mesmo se descadastrar significa: Não incomode mais. Se ele quiser depois ele deve voltar, deve pelo caminho normal, double opt-in novamente.

Photo credit: Telstar Logistics / Foter / CC BY-NC

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *