Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Mantendo o banco de ideias ativo

Mantendo o banco de ideias ativo

Sempre que preciso escrever, só tenho duas fontes de ideias, ou é algo que me ocorreu imediatamente e preciso escrever a respeito, ou consulto o meu “banco de ideias”.

Mantendo o banco de ideias ativo

Sempre que leio algo interessante, que acho importante, que vale a pena ir mais a fundo ou utilizar como referência, não apenas para mim, para amigos, colaboradores e clientes, guardo um link no meu banco.

A ferramenta que eu uso para o meu banco de ideias é muito sofisticada, chama pasta, eu prefiro chamar de diretório, é um recurso com nome mais sofisticado.

Desde o século passado, tenho o meu banco, a pasta raiz tem o nome sugestivo de “Assuntos” e dentro dela, no momento que escrevo este post existem 57 outras pastas distintas, cada uma delas contendo centenas de links, arquivos textuais, imagens, vídeos e alguns arquivos de áudio.

Isso tudo é para manter a mente aberta, utilizando o apoio de outras pessoas sobre os assuntos do meu interesse.

E como funciona o banco?

Primeiro consulto a planilha do meu calendário editorial. Sim, faço isso para cada semestre, e divido os assuntos, principalmente os “pilares” que me motivam mais no momento, e vou produzindo sobre eles em sequência.

Isso deve me dar 2 posts semanais em média, e assim vou indo.

Quando decido escrever sobre algo que está no planejamento editorial, vou à pasta correspondente sobre o assunto, verifico as referências, acesso novamente, leio, assisto vídeos e aí já tenho mais elementos para iniciar.

Começo fazendo uma estrutura, um mapa mental, normalmente no xMind mas gosto de começar muitas vezes no papel mesmo e depois passar para lá.

Se do material que consultei tem coisas que vão ser mais úteis, já separo na pasta específica do post (normalmente é minha unidade de conteúdo padrão) para depois ou consultar novamente ou fazer a referência correta.

E aí começo a escrever.

Utilizando todos os recursos

O fato de escrever sobre um determinado assunto não me torna um especialista, muito pelo contrário. Por isso as referências são tão importantes.

E dar o crédito não tem nenhum problema, melhora todo o ecossistema no geral.

Ainda, não apenas os textos são criados e referenciados, temos as imagens, esquemas, gráficos, vídeos, animações e eventualmente outros recursos como sites, sistemas, aplicativos e por aí vai.

Então já deu para ter uma ideia

Este é o meu sistema em linhas simplificadas, você pode ter um bem diferente. Conheci pessoas fantásticas que utilizavam o Trello para fazer o mesmo que eu faço manualmente, outras utilizavam o Evernote.

Utilizei ambos (e utilizo para outros fins), mas não é ali que me sinto à vontade. O editor de textos – utilizo normalmente o Microsoft Word, mas eventualmente produzo no Google Documentos. Funcionam bem.

Ainda uma pessoa iluminada que conheci fazia seus conteúdos e os referenciava utilizando um software para fazer roteiros para o cinema e TV.

Você tem que utilizar os recursos que estiverem disponíveis, não é necessária nenhuma sofisticação para ignir a centelha da sua criatividade. O mais importante aqui é colocar a mão na massa.

E mais importante do que eu me tornar especialista em algum assunto é ajudar a disseminar coisas importantes e que impactem a vida das outras para o bem.

Dicas

Algumas pessoas que conheci não mantém um banco de ideias como eu faço, elas mantêm um banco de títulos das postagens que irão fazer!

Sim, uma planilha gigantesca, e começam a partir dali. Também pode ser uma alternativa para você, pense a respeito.

Ao invés de um diretório e dezenas de subdiretórios, uma planilha, com abas e ali você organiza os assuntos.

Outras pessoas que escrevem mais conteúdos para suas empresas, utilizam as duas técnicas combinadas, a planilha organiza o calendário editorial, os assuntos e as datas de postagem, e as pastas organizam os conteúdos propriamente. Também é uma boa alternativa.

Se você utiliza algum software de mind mapping, como o xMind , poderá ainda inserir os conteúdos textuais diretamente dentro dos galhos, e ao final gerar um documento e partir dali a finalização. Também é uma boa alternativa.

Então mãos à obra

Vamos lá, comece a produzir conteúdo hoje mesmo. Quanto mais você escrever, melhor escreverá.

É incrível, parece até mágica!

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *