Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Freelancer ou empresa?

Freelancer ou empresa?

Embora eu seja um pouco suspeito para falar sobre ser freelancer ou empresa, acho que provocar o debate ainda é necessário.

Desde muito cedo eu empreendi, e desde cedo tive empresas. Talvez impulsionado pela experiência do meus bisavôs, avôs e do meu pai inclusive.

Embora meu pai não tenha seguido empreendendo desde que eu era muito pequeno, de muitas formas ele me estimulou a fazer as coisas.

Começando

Todo mundo começa de alguma forma. Eu comecei ainda na escola, colocávamos sonorização em festas, inicialmente de colegas e amigos, e depois fomos crescendo, desde a oitava série do primeiro grau.

Gastávamos todo o dinheiro em compra de mais equipamentos, não ganhamos quase nada para nós, mas compramos bons equipamentos, trabalhamos muito, e deixamos centenas de pessoas satisfeitas com nosso trabalho.

Parece pouco, mas me forneceu aprendizagem para toda a minha vida!

Lembre-se que você pode começar de diversas formas:

  • Motivação: para fazer alguma coisa;
  • Negócio lateral: enquanto trabalha no mercado ou para outra pessoa, e resolve iniciar um negócio no seu tempo vago;
  • Freelancer: prestando serviços para pessoas e empresas que precisam de suas habilidades, nem sempre de maneira formal;
  • Pequena empresa: hoje está mais fácil abrir uma empresa, uma MEI é bem simples de abrir e manter, sem precisar de contador, se for prestar serviços para empresas terá que emitir NFe, então considere isso;

Manter-se como freelancer – ou empreendedor solo – pode ser uma boa alternativa, não apenas no começo.

Embora você tenha que fazer tudo sozinho por um tempo, pode começar (e mudar as coisas) mais rapidamente.

Pode criar vínculos diretos com o cliente e manter as coisas funcionando adequadamente com eles (relacionamento).

Sem falar que seus custos iniciais serão menores, pode trabalhar de casa, de um coworking, manter uma contabilidade simplificada, e ainda ter alguma liberdade para ir e vir!

Sim, tenho diversos amigos e prestadores de serviços que ficam viajando mundo afora e trabalhando remotamente. Parece algo difícil, mas não é.

Dicas

Descobrir a verdadeira razão pela qual você quer ser freelancer ou abrir uma empresa normalmente ajuda muito.

Sendo ou não um negócio lateral ou paralelo à sua atividade principal no momento, não importa.

Uma coisa muito importante desde o momento zero é ter uma identidade. Não estou falando que você não pode utilizar o próprio nome, mas eu nunca fiz desta forma.

Sempre criei nomes/empresas/iniciativas neste sentido. Se identifique com um nome específico, uma marca simples, um pequeno site e comece daí.

O seu site vai ser responsável por possíveis clientes/interessados, leads orgânicos, apenas por ter conteúdo que será indexado e servirá como apoio, quanto mais cedo você mantiver o site com conteúdo relevante e periódico, mais resultados terá.

Não precisa ser nada sofisticado ao extremo, e lembre-se, você tem que começar, quando as coisas melhorarem você pode ajustar nome, logotipo, materiais.

Mas se tiver a oportunidade de parecer mais profissional do que realmente é desde o início, ajuda!

Foque no que é importante, pense em como vai fazer mais e mais rápido – sem comprometer a qualidade.

Dependendo do que for fazer, produtos ou serviços, poderá reaproveitar as coisas para entregar mais rapidamente aos novos clientes que forem entrando, então desenvolver um processo sempre ajuda.

Comece com o que estiver à disposição, com o que tiver à mão. Não invista todo seu dinheiro imediatamente se não for totalmente necessário.

Você pode alugar/emprestar equipamentos durante algum tempo, mesmo que o lucro seja menor, para testar o seu modelo, pense nisso.

Quando as coisas estiverem crescendo, a ajuda de um contador e de um advogado podem ser fundamentais para o seu sucesso.

Não sei o que vou fazer

Comece fazendo uma matriz, pegue uma folha de papel, divida ao meio, na esquerda coloque suas habilidades, na direita problemas que poderia resolver para os outros.

Pense naquilo que você é bom, escreva, comece a desenhar isso. Pense no que poderia fazer durante muito tempo ou todo dia com maior prazer.

Se ainda assim tiver dificuldades, pergunte às pessoas, o que elas acham que você sabe? O que elas lhe chamariam para resolver de imediato?

Você pode definir seu conjunto de habilidades.

Mas você pode abrir um negócio independente disso ok?

Você pode fazer o que quiser, ninguém pode dizer o que você pode ou não fazer, apenas você mesmo!

Onde encontrar clientes

Pesquisar na web sobre produtos, serviços, o que estão pagando em determinados tipos de serviços e produtos pode lhe dar um indicativo.

Procurar em sites de serviços e freelancers pode ser um excelente ponto de partida.

Você pode observar desde tipo de ofertas de serviços até quanto as pessoas estão pagando ou dispostas a pagar por isso.

E temos centenas de sites deste tipo no Brasil e exterior.

Da mesma forma que se você quiser vender produtos pode pesquisar em sites de e-commerce ou mesmo em sites como o Mercado Livre e ter uma ideia melhor do mercado e seu alcance, bem como do tamanho da concorrência que vai enfrentar.

No começo recomendo que você facilite para os possíveis clientes, não crie muitos empecilhos – e se não precisar não trabalhe de graça.

Monte desde o instante zero seu “portfolio”, colha depoimentos textuais e se puder em vídeo, quando alguém fala bem dos nossos produtos e serviços isso é muito melhor do que nós mesmos tentando vender diretamente!

Se você quiser começar como freelancer, então utilize os sites que vendem as suas habilidades, não estou dizendo para começar apenas no Fiverr, existem muitas opções por aí.

Comece a testar algumas delas, você pode se surpreender com o resultado e ainda ter o seu “comercial” rodando no automático.

Fazer uma lista de possíveis clientes e como vai atacar, ajuda. Se tiver contatos e relacionamentos que puderem lhe ajudar, melhor ainda.

Fazer parcerias – caso ofereça serviços complementares – ajudam muito. Tenha sempre a decência de respeitar o “dono” do cliente, não passe por cima de quem lhe ajuda.

Tenho parceiros comerciais de mais de 30 anos!

Ainda, clientes bem atendidos são excelentes para indicar novos clientes. Mantenha um relacionamento de longa data.

Lembre-se, um cliente bem atendido pode pedir novos produtos/serviços. Manter um CRM ou ferramenta de relacionamento (até email marketing) pode ser de grande valia.

Vá em eventos, apareça, fique conhecido. O networking nunca é demais.

Devo ser freelancer?

Você pode sim se posicionar inicialmente como freelancer. Não existe nenhum problema com isso.

Apenas tenha certeza de estar constituído da maneira que for necessária. Gerencie seus clientes e seus trabalhos como se fosse uma empresa.

Faça sua “identidade visual”, marketing pessoal e networking como se já fosse uma empresa.

Cuide da motivação e das datas de entrega, não abra nenhuma frente para a procrastinação. Se auto motive diariamente.

Construa seus relacionamentos pessoais e comerciais com o mesmo objetivo. Produza conteúdos, vire alguém relevante no seu meio.

Utilize e aproveite todas as ferramentas disponíveis, principalmente as gratuitas. Cuide dos custos fixos.

Você pode trabalhar em casa, num coworking, ou mesmo remoto. Mas pense sempre que possível em interagir pessoalmente com pessoas, com seres humanos.

Não fique o tempo todo na sua caverna!

Faça seu material de apresentação, de produtos ou serviços, e deixe bonito e fácil de ser acessado ou consultado.

Seja proativo, resolva os problemas, sugira as melhores soluções, não faça apenas o solicitado, entregue mais, mostre que você pensa no problema do cliente.

Devo abrir uma empresa?

Comentei antes, se você pretender vender em lojas seus produtos, se pretende prestar serviços para empresas, certamente precisará formalizar de alguma forma.

Pense em ser uma MEI. Eventualmente você já teve uma empresa então ainda é sócio no papel.

Ou resolva as pendências, ou ajuste e retome sua empresa para poder seguir adiante.

Entre altos e baixos, a empresa sempre existirá, mesmo que você tenha problemas, precisará deixar as coisas arrumadas.

Se por algum motivo você não pagou impostos em dia – ninguém está livre disso – lembre-se que em algum momento terá que ajustar as contas com o fisco.

Não deixe passar muito tempo, ajuste, renegocie o passivo, e siga adiante. Pague os impostos sempre em dia.

Se não está conseguindo fazer isso, então tem algum problema que precisa da sua atenção imediata.

Problemas comuns

Claro que é muito fácil para mim escrever aqui um monte de coisas.

Quando você estiver trabalhando em uma empresa e tendo que manter seu novo negócio no tempo livre, as coisas tendem a ficar nebulosas.

Mantenha os bons hábitos, mantenha a rotina, não dê prazos que não conseguirá cumprir.

Se for por algum motivo não cumprir um prazo, ligue para o cliente antes da data final, explique os problemas e o que está fazendo para resolver.

Ele até pode chiar no momento, mas você não faz ideia de como isso ajudará.

Mantenha bons hábitos, mesmo que no começo seja muito mais difícil e não sobre muito tempo para você e sua família.

Compense eles sempre que tiver minutos disponíveis. Qualquer coisa para compensar.

Quando não estiver tão feliz lembre-se de porque começou isso tudo e onde desejará estar em 5 ou 10 anos. Pense no que deseja se tornar.

Você como empreendedor terá centenas de coisas para pensar e tomar conta, mas a mais importante é a seguinte:

Você pode perder a motivação por apenas 24h, no dia seguinte você tem que chegar recarregado para seguir adiante, não temos alternativa.

Cuide também dos custos fixos, da precificação, é fundamental você saber quanto custa o que você faz, por quanto precisa vender para ser lucrativo, e o principal, quanto o mercado está disposto a pagar por isso.

Tudo importa

Além disso controlar o fluxo de caixa é importante. A contabilidade pode ser simples também, desde que ela exista.

Ainda que estamos em épocas de fintechs de todos os tipos, mantenha as contas do negócio separadas das suas contas pessoais.

Não pense nos erros como obstáculos. Aprenda com eles, não os repita.

Nem deixe que a falta de conhecimentos específicos aprisione você, vá à luta, vá aprender, vá fazer cursos, se especialize. Se os outros estão fazendo você tem toda a capacidade de fazer também.

Cuide da “fábrica de orçamentos”, comece a perceber quem realmente precisa receber uma proposta formal ou quem só busca preços. Perca tempo com potenciais clientes de fato.

Dicas

Existem muitas dicas para você empreender ou freelancer.Manter os custos fixos baixos poderia ser a principal delas.

  • Escolher um nicho é fundamental;
  • Não ter todo o seu fluxo (ou mais de 20%) a partir do mesmo cliente, senão se ele for embora o tombo pode ser feio.
  • Utilize a versão trial das ferramentas inicialmente, ou as versões gratuitas mesmo que simplificada em funcionalidades;
  • Antes de criar algo do zero pesquise quem está fazendo a mesma coisa e quanto ela custa;
  • Mantenha a criatividade exercitando ela diariamente;
  • Faça a você mesmo as perguntas difíceis;
  • Leia muito, assista os vídeos de outros empreendedores, faça cursos, pesquise;
  • Utilize os seus clientes a seu favor, depoimentos contam;
  • Escreva e compartilhe mais;
  • Mantenha o currículo e o portfólio sempre atualizados;
  • Converse com amigos e familiares, identifique pessoas com experiência que podem ajudar;
  • Não se deixe contaminar pelas pessoas negativas;
  • Cuide dos horários de atendimento, pessoas tendem a querer manter contato em horários comerciais, se você não estiver disponível nestes horários deixe isso claro desde o início;
  • Comunique-se mais e melhor;
  • Se puder terceirizar e manter o controle, faça;
  • Você não é uma ilha, se relacione;
  • Entregue algo para sua comunidade local;
  • Mantenha sua saúde e faça exercícios;
  • Não beba café demais depois das 16h;
  • Os seus preços podem (e devem) subir todo ano;

Empreender

Você pode ser um empreendedor trabalhando para alguém, isso está diretamente relacionado com o que você faz.

Empreender é um exercício diário, já trabalhei para outras pessoas, para empresas, mas a maior parte do tempo tive minhas empresas, nem sempre tive o controle delas, as vezes fui sócio minoritário, as vezes fui passado para trás.

Meu avô paterno (ele era atacadista, tinha uma empresa com algumas centenas de funcionários e algumas centenas de caminhões para entregas) me dizia uma frase desde que eu era muito pequeno:

Meu neto, a gente só conhece uma pessoa quando faz negócios com ela.

João Jacob Tagliassuchi

E eu demorei muito tempo para entender o que o vô quis dizer com isso.

Na verdade sinto uma falta imensa de não ter aprendido mais com ele, ele se foi quando eu tinha 16 anos e eu já tocava o negócio de sonorização mecânica.

Eu me arrependo de algumas coisas que eu não fiz, de algumas parcerias que não deveria ter feito, de alguns clientes que poderia ter tratado melhor, de oportunidades que deixei passar.

Nunca termina

Mas não me arrependo em momento algum de seguir empreendendo.

Lembre-se ainda que empreender no tempo livre trabalhando dentro de uma empresa também pode funcionar.

  • Trate sua iniciativa como um negócio desde o princípio;
  • Utilize o tempo livre, finais de semanas e férias;
  • Vá crescendo, analisando e ajustando, não precisa largar o emprego de imediato;
  • Planeje também sua vida financeira, como vai ser depois sem plano de saúde e outros benefícios;
  • Utilize outros profissionais e empresas para auxiliar seu crescimento;
  • Pareça mais profissional e maior do que você realmente é;
  • Cuide bem dos custos, preços de venda e como vai cobrar;
  • Crie um processo e vá ajustando com o tempo, depois vai ser fácil crescer e escalar;

Lembre-se, ao se posicionar num nicho, você deve saber tudo sobre ele. Buscar sempre estar à frente e melhor informado do que os concorrentes.

Se tornar uma influência boa é uma tarefa a ser perseguida. Produza e compartilhe conteúdos relevantes.

Utilize seus canais de maneira sábia, privilegie seu próprio blog ou canal de vídeos, redes sociais na maioria das vezes são perda de tempo. Não utilize todas, escolha as melhores para seu negócio.

Siga os líderes do mercado e acompanhe o que eles estão fazendo.

Se você não sair da zona de conforto nunca vai começar!

E não importa que logo depois da zona de conforto vem a zona do medo, pois em seguida tem a zona de aprendizagem e a zona de superação!

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *