Monetização de blogs com WordPress

No passado remoto lembro que o meu blog principal me rendeu, durante o melhor período, até US$ 300,00 mensais em publicidade constante, embora tenham ocorrido picos de até US$ 1.500,00.

Isso era bom, gastava a maior parte desse dinheiro testando dezenas de empresas de hospedagem mundo afora.

Mas isso tudo aconteceu há mais de 15 anos atrás, as coisas eram diferentes.

Meu blog principal era – e ainda é – genérico, não tinha um nicho definido, foi feito para suprir meus propósitos, ficava eventualmente tempos fora do ar entre uma mudança e outra, eu não me preocupava com ele do jeito que deveria.

E com a remoção de conteúdo, extração de conteúdo para criação de novos blogs, fui perdendo relevância e consequentemente monetização.

Mas você não precisa fazer dessa forma desordenada e caótica.

Além do meu blog prestei serviços para dezenas de empresas e profissionais liberais, e muitos deles tiveram muito sucesso nos seus empreendimentos, que vou citar a seguir, dentre os que mais se destacaram, as principais ações que você deveria considerar.

Ainda, você é claro deve debulhar os dados do Google Analytics com muita frequência, e se quiser mesmo saber mais a respeito da sua audiência, considere instalar o Navegg também.

Ambos são âncoras pesadas, mas necessários.

8.1 – Escreva muito no seu blog

Parece óbvio, mas o seu sucesso dependerá muito de como e o quanto você vai se dedicar para isso.

Se dedicar = escrever. Escrever sobre o eu você quiser, sobre qualquer assunto.

Claro que nichos podem dar mais resultados. Eventualmente nichos podem desaparecer do dia para a noite, e você vai se ver com uma grande quantidade de coisas que não despertam mais o interesse como no passado.

Escrever muito dá trabalho, exige tempo, exige dedicação, você precisa levar isso a sério, se vai ser o seu trabalho, precisa ser profissional.

A arte de criar conteúdo por si só renderia um livro totalmente à parte. Ei, eu já escrevi este livro!

Existem opções, algumas pessoas conseguem escrever facilmente, outras não, precisam esquematizar, precisam criar uma base, e depois escrever.

Só posso dizer que quanto mais você escrever, mais sorte terá, pois incrivelmente você ficará melhor a cada publicação.

E escrever não é diferente de executar outras tarefas ou trabalhos. Nem todos os dias serão um bom dia. Use o que tiver à sua disposição, mãos à obra.

Pense em conteúdos de mais qualidade. Conteúdos maiores (2.000 a 3.000 palavras), tendem a dar mais resultados e melhores posicionamentos nos mecanismos de buscas, é claro, desde que sejam bem escritos, e façam sentido.

Então escrever menos e melhor é uma boa prática. Lembrando que você pode ter diferentes tipos, formatos e tamanhos de textos, pode criar um calendário editorial para facilitar a sua vida.

Produzir a cada 15 dias um texto maior e mais embasado, e nos intervalos textos menores com outros enfoques, isso vai do seu planejamento, e também, da análise dos dados do Analytics e Navegg, para ver o que está dando certo e o que não está.

Sempre utilize os dados e a análise a seu favor. Não adianta escrever, escrever e escrever sem parar e não olhar os números!

8.2 – Blogueiro em tempo integral

Não conheci ninguém que tenha dito: a partir de hoje serei blogueiro em tempo integral. E tenha conseguido pagar as contas a partir daí.

Normalmente, para a maioria de nós, começamos como uma atividade secundária, e ela vai ou não crescendo e tomando forma, ainda assim, mesmo para grandes blogueiros brasileiros e estrangeiros, a mudança não foi fácil, todos sentiram os mesmos medos.

Então comece com os dois pés no chão, mas comece logo.

8.3 – Experimente no seu blog

Você pode começar o seu blog e seguir publicando em outros blogs como convidado, como freelancer, e ainda conseguir alguns links de volta para seu novo empreendimento.

Nem todo tipo de monetização vai funcionar para todos. Então é importante ficar medindo tempo investido x retorno em cada uma das ações de monetização e forem testadas.

8.4 – Opções de monetização para seu blog

Quando ouvimos falar em monetização de blogs a primeira coisa que vem a cabeça são os banners do Adsense do Google.

Eu já utilizei muito, hoje nem tenho mais instalado em nenhum blog eu acho, ainda tenho algumas coisas vinculadas via YouTube.

Por quê? Não fazia mais sentido, os resultados eram tão ínfimos, que eu comecei a achar que aqueles banners feios não deveriam estar mais lá.

Mas sim, se você tiver boa visitação, pode ser um ponto de partida sim, mas, não são a única fonte de monetização que você tem à disposição!

Nunca encontrei uma fórmula mágica, e ainda não fiquei milionário!

Em compensação segundo a ConvertKit, no estudo feito em 2017, informa que os blogueiros profissionais faturaram em média US$ 138.064,00 e os amadores US$ 9.497,00. É uma boa diferença.

Monetização de blogs: Programa de afiliados

Afiliados nada mais são do que links, específicos, identificados, onde você recomenda um produto ou serviço, e se o usuário oriundo deste link concretizar a compra, você recebe um % do valor como resultado, ou receberá por clique no link, o por venda efetuada.

Neste livro aqui se você voltar o texto ou falo do “escrevi este livro”, vai ver que propositalmente coloquei um link deste tipo, para o site da Amazon, na página do livro sobre conteúdo.

Fiz isso para mostrar um exemplo. Nenhum outro link aqui do livro tem referências de afiliados ok?

Existem pessoas que criam blogs, sites de produtos (venda), exclusivamente com links de afiliados. É mais comum entre os americanos, existem inclusive temas focados neste tipo de monetização.

Dá trabalho, você tem que conferir muitas coisas, mas é uma alternativa. Tende a funcionar melhor com nichos. Use sua audiência, mas promova poucos produtos para ficar sutil.

Você pode ainda começar com produtos selecionados e colocar seus banners específicos em lugares estratégicos do seu blog, pense nisso.

Teste, existem dezenas de opções de sistemas de afiliados, dependerá muito da empresa que você se afiliar para receber comissões.

Monetização de blogs: Área de membros

É uma outra opção, muito negligenciada. Você vai escrevendo, escrevendo, começa a perceber que pessoas tem interesse naquilo que você está fazendo.

Eventualmente pagariam algum valor para ter um conteúdo exclusivo ou mais aprofundado. Isso pode ser feito numa área de membros.

A área de membros pode conter diversos tipos de conteúdos restritos, posts, vídeos, cursos, e-books, downloads, e ainda um local para perguntas e respostas exclusivo para seus membros pagantes.

É como uma assinatura, normalmente um valor para acesso mensal ou anual. Mas pense, é preciso dar algo em troca, conteúdos aprofundados, cursos, e-books exclusivos, webinars, uma hora de consultoria via Skype e por aí vai.

Claro que exige algumas configurações adicionais no seu blog e algum meio de pagamento confiável. Se tiver massa crítica para isso comece a desenhar.

Monetização de blogs: Banners

Como citei anteriormente, o Google Adsense é a opção mais comum.

Mas existem pelo menos uma dezena de alternativas. Normalmente eles pagam uma pequena comissão a cada vez que um banner for clicado no seu site/blog.

Então de imediato pode ser uma alternativa prática. Lembrando que você pode vender seus banners diretamente, ainda mais se tiver um nicho sendo bem atendido pelo seu blog.

Tenha em mente apenas em criar uma metodologia de cobrança e controlar a exibição de banners se não utilizar uma plataforma.

Nada impede de você colocar um banner de alguma empresa e cobrar um valor mensal, independentemente do número de visualizações/cliques, ou seja, gerenciar seus próprios anúncios.

Ou utilizar as redes de anúncios, ou ainda, uma combinação de ambos.

Tenha em mente que todo o seu esforço em construir seu blog e reputação podem ir embora quando entrar um banner do seu concorrente direto ao lado dos seus melhores conteúdos.

E seja prudente, não entupa o seu layout de banners, eles vão invariavelmente concorrer com seu conteúdo e destruir seus esforços gráficos. Mantenha a coisa toda sob controle.

Monetização de blogs: Cursos

Da mesma maneira que a área de membros, pode ser mais fácil produzir um curso e publicar em uma plataforma especializada como Udemy. Eu faço isso.

Preferi focar em produzir alguns cursos e deixei a plataforma para os especialistas gerenciarem. E a partir do seu blog você direciona interessados para lá.

É uma excelente maneira de monetização recorrente. E você entregará o seu conhecimento, algo que domina!

Veja, cursos online podem gerar também workshops, menores e mais baratos para o público!

Monetização de blogs: Email Marketing

O email marketing é a sua ferramenta mais importante. Mesmo que não esteja claro o que você vai fazer com sua base de assinantes, ela deve começar a ser construída no exato momento que o seu blog for para o ar.

Pode se tornar em pouco tempo seu maior ativo e grande fonte de monetização. Lembre-se que você vai divulgar seus conteúdos e seus próprios livros, e-books ou o que quiser.

E poderá também monetizar envios especializados de patrocinadores, de maneira sutil ou mais direta.

Você precisa iniciar agora. Se quiser uma ferramenta bem simples e gratuita para começar recomendo o MailerLite.

Lembre-se de criar pontos de opt-in, e de respeitar o opt-out. De nada adianta criar uma lista e não manter a mesma, fazendo envios periódicos.

Monetização de blogs: Mídias Sociais

Bom, eu particularmente não gosto das redes sociais, mas é preciso distribuir nossos conteúdos, e ver por onde começamos a atingir maior audiência.

Claro que você deve ter um perfil o Twitter, uma página no Facebook, um perfil pessoal no LinkedIn. Dependendo do nicho de atuação poderá fazer sentido uma conta no Instagram e Pinterest.

Tudo o que for publicado no seu site/blog, necessariamente deve ser compartilhado onde for possível.

Existem plugins para isso, existem serviços para isso, recomendo que você comece com a dlvr.it e IFTTT. Devem servir inicialmente estes dois serviços. O que não conseguir automatizar faça à mão.

Lembrando, da mesma forma eventualmente você poderá postar alguma publicação paga em suas redes. Mas fique atento, é você avalizando!

Então, olhe os números no Analytics, veja as redes que estão dando mais resultados em um determinado período (6 meses) com postagens regulares e parta daí.

Quando estiver entupido de seguidores, pode monetizar posts específicos de anunciantes lá nas redes, com educação.

Monetização de blogs: Patrocínios

Você pode ter um conteúdo de nicho muito específico e conseguir uma empresa ou marca que o patrocine. Já vi isso acontecer.

É preciso audiência adequada e confiança dos usuários.

Era tanta sinergia que a empresa patrocinadora ficava muito à vontade de fazer isso com a blogueira.

Isso pode ser uma alternativa viável, mas infelizmente não é imediata. Você vai ter que mostrar primeiro a que veio.

Monetização de blogs: Podcasts

O podcast fez parte da minha vida durante alguns anos. Participei de alguns podcasts em sites de terceiros também.

Nada mais é do que um programa que você faz, e o áudio fica disponível para ser ouvido a partir de um player ou mesmo do download do arquivo MP3.

É interessante que você pense no podcast, colocar em outros canais de distribuição, e aumentar a capilaridade da sua rede, ficar mais conhecido.

Agora entenda que você pode estar gravando um vídeo, para seu canal do YouTube, e uma vez pronto, pode colocar o áudio como sendo um podcast.

Lembre-se de cuidar para divulgar o seu nome, nome do blog, link para acesso, isso ajuda.

E assim como o vídeo, você pode fazer inserções comerciais dentro da gravação, é outra forma de monetizar.

Alguns podcasters famosos cobram assinatura para acesso aos seus podcasts. Mas isso tende a funcionar conforme a audiência vai aumentando.

Monetização de blogs: Posts patrocinados

É até comum em sites de conteúdos, notícias, blogs, no meio do conteúdo ter uma postagem de cunho mais comercial do que informativo.

Não tem nenhum problema, mas deixe claro com a sua audiência de que se trata de um post/publicação patrocinada.

Cuide também com a quantidade de links a partir desta publicação.

Monetização de blogs: Produtos

Alguns blogueiros passam a vender souvenirs, canecas, camisetas, isso até funciona, mas só vi acontecer se você tiver uma audiência muito grande e engajada.

Pois pense que terá que resolver a logística de manter uma loja virtual e atender aos pedidos. Além é claro, produzir o que será vendido.

Mas, por outro lado, fazer um “lançamento” ou oferecer o produto diretamente fica mais fácil, tendo uma audiência.

Claro, não promova demais, incomodando, e nem de menos, se ninguém souber como vão comprar?

Monetização de blogs: Publicações

Você pode sim monetizar publicações. Pode por exemplo restringir a leitura de parte de um post.

No primeiro momento exige apenas um e-mail para ele se cadastrar e seguir para acessar o conteúdo completo.

Com o passar do tempo pode ter uma ideia se vale a pena cobrar para alguns tipos de conteúdo.

Ainda, pode ter publicações especializadas de patrocinadores, da mesma forma que posts.

E não só postagens, isso também vale para e-books, para materiais para download, tudo o que você quiser distribuir eletronicamente.

E é muito fácil começar a experimentar e ver se vai dar liga com a sua audiência. Mas sim, é preciso ter alguma audiência.

Lembrando, que pode ser também um livro, ou um e-book. Na minha estratégia de monetização eu incluí os livros e os cursos.

E você adquiriu o livro, por isto está aqui certo?

Monetização de blogs: Review de produtos

Alguns blogueiros recebem produtos para escrever a respeito, fazer um teste, e emitir sua opinião, colocar fotos, vídeos.

Algumas dessas empresas oferecem o próprio produto como pagamento. Então é preciso avaliar.

Você tem uma reputação, recebe um produto, que vai ficar para você, e não gosta, tem que escrever a verdade a respeito, certo? Pode ser que o relacionamento com a empresa termine aí.

Mas sim, é relativamente comum, alguns cobram uma taxa para fazer a avaliação, isso me parece mais adequado.

Monetização de blogs: Serviços

Lembre-se que você pode oferecer seus próprios serviços. Instalação de WordPress, formatação de e-books, edição de vídeos, anúncios no Google AdWords. Por que não?

Você escreve não? Produzir conteúdos para empresas, melhorar o copywriting pode ser uma alternativa adicional certo?

Pode prestar consultoria na sua área de atuação?

Se são coisas que você faz bem, pode fazer sentido, pelo menos durante os períodos iniciais e de transição, enquanto o blog não dá todo o $ necessário para você se manter.

Afinal é você e o que você faz no final, certo?

Monetização de blogs: Vídeos e webinars

Da mesma forma que o podcast, os vídeos vieram para ficar.

Entenda que além dos banners (integrados ao AdSense) no seu canal do YouTube, o nome do vídeo, descrição e ainda links relacionados para o se blog, podem fazer uma grande diferença no final.

Ainda, aproveitar o vídeo para gerar um podcast. Pense nisso, monetização via AdSense (se você tiver audiência suficiente), aproveitamento de links, podcast.

Quem sabe faz sentido? Não despreze esta mídia, planeje algo para fazer mesmo que num segundo momento.

Mas não somente o YouTube e AdSense, você pode fazer webinars gratuitos, mais rasos, atrair audiência, e oferecer posteriormente uma versão mais imersiva do conteúdo, cobrando alguma coisa para a audiência assistir.

Pode até lançar seus cursos desta forma! Mas lembre-se que tem a ferramenta de webinar e algumas delas ainda precisam de uma ferramenta adicional para pagamentos.

Monetização de blogs: Visitas físicas

Algumas clientes blogueiras visitavam locais, cafeterias, restaurantes, lojas e geravam conteúdos a respeito, da experiência, atendimento, fotos, vídeos, e passaram a receber muitas solicitações para tal.

Depois de algum tempo ficou inviável participarem fisicamente de todas as empresas interessadas, criaram uma rede de colaboradoras, que recebiam para fazer essa tarefa, e elas atuavam quase como um cliente oculto para essas marcas e empresas.

Claro que no início elas eram facilmente identificadas e recebiam tratamento melhor que a maioria dos clientes, mas é uma alternativa de monetização que já vi funcionando.

8.5 – Quanto tempo leva para monetizar?

Não é fácil, não é rápido. Demora, e a maioria desiste um pouco antes dos resultados começarem a aparecer.

Grandes blogueiros levaram alguns anos para conseguirem sucesso. Então tenha em mente que é um trabalho de longo prazo normalmente.

Considere se esforçar e mensurar os resultados num período de pelo menos seis meses a um ano.

Existem alternativas? Sim, dezenas, mas preferi listar as que já observei dando resultados práticos para mim e meus clientes.

Tenha foco, trabalhe muito, e os resultados tenderão a aparecer. Mas tudo isso dependerá muito da sua audiência e de o quanto você é relevante no seu nicho.

E novamente, quanto mais você se dedicar, parece que mais sorte terá!

Importante lembrarmos que o que interessa mais são as receitas recorrentes, mesmo que comecem em menor fluxo.

Claro que as eventuais são importantes, mas a recorrência vai lhe dar independência financeira.

Você tem que estar apto a testar, as coisas sempre mudam. Se adapte, chegue primeiro, invente novas fontes de receitas.

E lembre-se, embora tudo dependa da sua escrita no final, pense como um empresário, seu blog é a sua empresa!

Se ele é a sua empresa, deve ter um domínio exclusivo e uma conta de e-mail @ este mesmo domínio, e estar hospedado em um local adequado.

A sua planilha de controle mensal deve ter informações para você mensurar algumas coisas e controlar, tipo:

  • Quantidade de usuários únicos;
  • Quantidade de páginas visualizadas;
  • Quantidade de cadastrados na base de e-mails;
  • Quantidade de seguidores nas redes sociais;
  • Quantidade de formulários de contato recebidos;
  • Quantidade de comentários;
  • Receita (detalhada);
  • Despesas (detalhadas);

8.6 – Dicas e erros comuns na monetização

Costumo dizer e até a repetir alguns erros, mas vamos tentar fazer com que você seja melhor do que eu fui!

  • Produza conteúdo focado em seu nicho;
  • Utilize mais CTA (call to action);
  • Se quiser que o usuário faça alguma coisa, peça!
  • Responda aos comentários, mais ainda aos formulários;
  • Compartilhe seus posts onde puder;
  • Faça email marketing regularmente;
  • Pergunte aos seus usuários o que quiser saber deles!
  • Não fique dependente do AdSense, nem no seu blog, nem no seu canal do YouTube, eles vivem mudando as regras para o bem deles!
  • Diversifique as origens de renda;
  • Não seja e nem ouça os pessimistas!
  • Não economize na hospedagem;
  • Tenha um nome, um logotipo, um domínio e um e-mail, é a coisa mais simples e que demonstra algum profissionalismo mínimo!
  • Não quebre a confiança do usuário;
  • Você não precisa ter conhecimentos técnicos profundos para ter sucesso;
  • Você não precisa de 1.000.000 de visitantes para ganhar dinheiro;
  • Construa a sua audiência entregando mais do que pedindo;
  • Estipule metas e planeje 6, 12, 16 e 24 meses à frente;
  • Participar de grupos de discussão pode ajudar no início;
  • Fique mais amigo do SEO;
  • Vá mais a fundo no Analytics e Navegg;
  • Ferramentas de pesquisa de palavras-chave, conhece?
  • Pesquise o mercado e a concorrência;
  • Escolher o lucro sobre a paixão pode ser um erro;
  • Não seja muito lento em mudar o que precisa ser mudado;
  • Não tente fazer tudo sozinho;

Conforme vamos errando vamos aprendendo. O sucesso é não repetir os erros do passado!

Imagem padrão
Gustavo Tagliassuchi
Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.
Artigos: 555

Deixar uma resposta

Translate »