Gerando tráfego para o seu blog

Se você está começando por este capítulo em especial, vá em frente. Se você está fazendo o curso desde o início, alguns itens podem ter sido mencionados anteriormente.

18.1 – Cuide do conteúdo do blog

Sempre que falarmos de conteúdo, você deve lembrar do texto propriamente, das imagens, recursos adicionais, links internos e externos e da otimização de SEO que faz parte disso tudo.

O conteúdo é o nosso rei aqui. Tudo fica ao redor dele. O WordPress só ajudou a democratizar a publicação e o acesso ao conteúdo, mas para isso ele ainda precisa ser encontrado.

Então, você vai passar parte da sua vida produzindo, escrevendo. Cuide disso com cuidado e atenção, varie, experimente, atualize conteúdos antigos, revisite, retire links quebrados, acrescente novas referências importantes.

O conteúdo não é estanque, ele não deve morrer depois de publicado. E eventualmente em casos excepcionais você ainda vai matar alguns conteúdos produzidos.

Manter o crescimento da produção, variar, diversificar é uma boa prática. Independente do seu nicho específico. Mas é claro que para saber o que está dando certo ou não você tem que olhar os números.

Não é feeling, é ciência!

Ainda, você pode se inspirar em outras pessoas para escrever, não tem problema. E depois acabar desenvolvendo seu próprio estilo.

Outra questão importante é o reaproveitamento de conteúdos. Desde compartilhamento social (que pode ser automático), até reorganizar posts antigos, acrescentar conteúdos inéditos atualizados, até a criação de posts que são apenas referências de outros, como listas especializadas por exemplo.

Já pensou que os posts mais acessados podem virar vídeos no YouTube e a trilha de áudio deste vídeo pode virar um podcast?

Já pensou que uma categoria de posts pode virar um e-book? Um guia? Podem até virar um produto para ser vendido?

Com o passar do tempo você agrega este tipo de post no seu calendário editorial, aumentando a oferta de conteúdos. Acrescentar novas imagens, um infográfico, tudo que melhore a experiência do usuário é válido.

E se você tiver configurado as coisas direito, quando atualizar um post ou página, o Google por exemplo será avisado através do seu sitemap XML que deve reindexar tal conteúdo.

Acaba virando um moto contínuo, uma espiral crescente de conteúdo.

Ah e quando utilizar as fotos, mesmo com a tentação dos bancos de imagens gratuitos, sempre primeiro opte por suas próprias fotos, produzidas, editadas ou originais, em detrimento daquelas de bancos de imagens.

Outra coisa importante é que você primeiro deve se preocupar com o conteúdo apenas. Se você ficar sempre pensando na monetização, ainda mais no início, isso vai afetar sua capacidade de produzir boas coisas.

Ainda, produzindo conteúdos, você poderá coletar dados, por imediato e-mails para construir sua base. Isso no futuro vai permitir retroalimentar a cadeia de eventos, e até possibilidade vendas e monetização.

Até li certa vez: O marketing de conteúdo pode mudar o mundo. E pode mesmo!

18.2 – Busca orgânica no blog

Normalmente essa vai ser a sua maior origem de tráfego. Isso significa que alguém faz uma busca e encontra um link para o seu site/blog e então clica para acessar.

Se fizer sentido para ele, ele fica, consome o conteúdo, se for suficientemente impactado ainda pode consumir mais ou voltar posteriormente.

Esse tráfego precisa ser observado periodicamente. Analisado, ali você vai descobrir o que eles têm pesquisado (termos) para encontrar você e saber se está no caminho certo ou sendo acertado por outros motivos.

A busca orgânica é muito importante, se ela se mantiver sempre crescendo e dando resultados implica que você está no caminho certo.

Ao descobrir os termos / palavras-chave, vai passar a entender melhor o que você está oferecendo de fato, ou como está sendo indexado caso não seja proposital.

Lembre-se que estes termos / palavras-chave, são aqueles que deveriam estar contidos no título do post, na meta descrição, nos atributos ALT e no nome das imagens, e ainda nos subtítulos H2, H3 e por aí.

Aproveite também os recursos do plugin SEO by Yoast se estiver utilizando o mesmo e otimize um pouco com as sugestões dele.

Existem ainda outros fatores que vão impactar aqui, nos resultados da busca orgânica. Idade do seu site/blog, velocidade do seu site, palavras-chave / SEO adequado.

18.3 – Mecanismos de busca

Já comentei anteriormente sobre os mecanismos de buscas. Você deve estar e deixar seu site preparado para o Google e Bing.

Não confie muito neles, prefira avisar quando as coisas forem atualizadas do seu lado, ao invés de esperar uma atualização por parte deles.

Mas depois disso é importante observar os demais “mecanismos de busca” abaixo para ter uma ideia de onde estão algumas das melhores origens de tráfego (você pode ter lido isso antes).

  • 68,81% – Google
  • 21,51% – Google Imagens
  • 0,74% – Google Maps
  • 3,09% – YouTube
  • 1,42% – Bing
  • 1,60% – Yahoo
  • 0,94% – Facebook
  • 0,85% – Amazon
  • 0,20% – Twitter
  • 0,23% – Pinterest
  • 0,09% – AOL
  • 0,03% – Ask
  • 0,46% – DuckDuckGo
  • 0,03% – Wikipedia

Isso dá uma ideia de como é importante deixar uma imagem relevante ser indexada adequadamente, bem como ter um vídeo como apoio à indexação do site/blog no YouTube.

18.4 – Promovendo o blog

As coisas não andam muito fáceis nestes dias, quando falamos em promover blogs.

Muita gente gastava seu dinheiro no Facebook, impulsionando isso, comprando acesso daquilo. Isso tende a não dar nenhum resultado prático. Entenda que pessoas vão clicar no seu anúncio e acessar o seu blog.

O problema é que elas não são quem deveriam ser, são irrelevantes para seu negócio. Se for fazer isso no Facebook pense melhor.

Já anúncios no Google são mais adequados. Mas você vai ter que investir. Vai ter trabalho para escolher bem as palavras e montar seus anúncios.

E eventualmente vai ver sua verba sumir em 4 ou 5 cliques em palavras concorridas.

Você vai ter que se virar mais. Mas isso não significa que você não pode inventar, promover, copiar coisas que outros estão fazendo e ter bastante sucesso na sua promoção.

Canais secundários como o vídeo marketing deve ser considerados. Lives (transmissão de vídeo ao vivo) nas redes sociais preferenciais podem ser uma nova opção dependendo do seu nicho.

Se reunir com formadores de opinião e outros do mesmo nicho pode evoluir para grandes feitos, aproveitando o alcance deles para alavancar você.

Divulgar em grupos de nicho, inclusive no Facebook (se for permitido) também. Aceitar e receber backlinks de qualidade também.

18.5 – Compartilhamento social

Não acho que você deva estar em todas as redes sociais. A maioria delas vai se mostrar uma grande perda de tempo.

Mas, também são redes de nichos. Pode fazer sentido para o seu negócio ter uma conta nos Instagram, se você utilizar fotos intensivamente, mas também vai consumir o seu tempo.

Você deverá ter uma página no Facebook, mesmo sendo uma pessoa, faça uma página, seu perfil pessoal é para o seu relacionamento pessoal. E sendo uma empresa mais ainda.

Assim como o LinkedIn é importante, lá da mesma forma, é uma rede de relacionamento focado, lá você pode ter seu perfil pessoal e uma página se for uma empresa.

No Twitter também, ainda existe alguma relevância. Assim como o Pinterest pode ser importante para o seu nicho.

Veja, foque em trabalhar bem em uma ou duas redes, manualmente inclusive se preferir. Nas outras, pelo menos de imediato, compartilhe automaticamente as postagens.

Você pode utilizar algum plugin como o Blog2Social, ou um serviço como o Dlvrt.it. Também o IFTTT pode ser útil para algumas ações automatizadas.

Importante lembrar que cada rede tem um sistema de comunicação interno. Se você utilizar alguma das ferramentas de suporte / controle de tickets sugeridas em capítulos anteriores, pode ter facilidades para gerenciar as mensagens de todas as suas redes em um único local.

Lembrando que parte do compartilhamento será feito pelos seus usuários, então ter os botões de compartilhamento funcionando, e garantindo a qualidade do link / imagem compartilhada, já ajudará neste sentido.

Se você quer ter uma ideia de números, o pessoal da MOZ analisou seus próprios compartilhamentos em 759 campanhas, e para eles o grande sucesso era quando ocorriam 20.000 compartilhamentos sociais. Sucesso baixo seriam 1.000 compartilhamentos.

Então não dê mais importância a este tema do que ele merece. Foco no conteúdo e busca orgânica.

18.6 – Backlinks

Backlinks são importantes, referenciar e ser referenciado ajuda a dizer ao Google por exemplo que seu conteúdo tem relevância.

Porém existem pessoas que querem se aproveitar dos seus artigos bem ranqueados. Então tenha cuidado. É claro que no início você tem mais a aceitar do que a oferecer neste ponto.

Mas com o tempo aceite somente referenciar se fizer realmente sentido, olhando sempre o link destino e observando atentamente se não tem nada contra seus princípios ou da sua audiência.

No passado muita gente utilizou técnicas que foram banidas, gerando pontuações negativas pelo Google. Então não tente passar a perna no sistema.

E sim, os links externos podem ser exatamente as referências que você utilizou talvez para escrever o seu artigo.

Também não esqueça dos links internos referenciando outros artigos / conteúdos.

18.7 – Coletando leads

Você sabe que leads são os potenciais compradores do seu site blog. Embora seu blog possa não ter foco inicial em vendas, ao coletar por exemplo nome e e-mail para começar a sua lista, esses serão seus leads iniciais a serem atingidos no futuro com alguma oferta, mesmo que inicialmente apenas de novos conteúdos.

Para coletar leads com mais intensidade, primeiro eles terão que ter alguma aderência com o que você está fazendo.

Segundo eles tendo comprado o que você está publicando, seu nicho, suas ideias, suas imagens, eles vão lhe fornecer as informações que você precisa.

Mas você deve então fazer isso de maneira simples e transparente, sem tentar vender diretamente algo. Pode fornecer algum incentivo inicial como um brinde, um e-book.

Pode a partir de vários conteúdos criar um curso ou webinar, e aí oferecer isso em troca apenas de alguns dados.

E começar daí a criar massa crítica para ver como a coisa evolui no futuro, até para lançar novos produtos e serviços, focados na monetização direta.

Outra técnica são as pop-ups de entrada ou saída. Mas não abuse delas, e nem confie apenas nelas, podem ser facilmente bloqueadas.

É fundamental que não existe apenas um ponto de coleta de leads no seu site / blog. Você pode ter diferentes pontos onde poderá utilizar técnicas distintas para fazer isso.

Faça CTA (call to action) claros e diretos.

18.8 – Comentários no WordPress

Oferecer comentários no seu blog pode ser uma grande fonte de interação com sua audiência.

Prefira os comentários da própria plataforma do WordPress. Evite os externos como do Facebook ou Disqus. Em linhas gerais eles não serão seus!

Responder aos comentários é fundamental. Também não deixe de ativar plugins como o Akismet para evitar comentários de SPAM através de bots ou scripts maliciosos. Se puder proteja a inserção com algum tipo de captcha.

E é claro, ao final de cada post que tal pedir ao usuário que comente, acrescente, diga como ele fez? Estimule o comentário. Pergunte.

Mas não quer dizer que você aceita tudo o que for escrito. Comente, responda e censure se for o caso. O blog é seu. Se tiver regras/políticas de comentários deixe claro o link.

Outra dica importante é acrescentar algo via comentários, um acréscimo, link de publicação, um plus, e iniciar a partir daí a discussão agradável.

18.9 – Opt-in de email marketing

Já comentei diversas vezes sobre isso. E tendo sido sócio de uma das maiores empresa de email marketing do Brasil até pode parecer suspeito.

Mas a sua base de e-mails é ou será o seu maior ativo. É a coisa mais pura e direcionada que o seu blog pode fornecer, pessoas realmente interessadas e engajadas naquilo que você faz, e que inclusive por isso, podem ser impactadas pelos seus produtos e serviços.

E mantendo isso sempre adequadamente, você vai ter um ativo permanente à sua disposição, inclusive pensando na sua monetização futura.

O opt-in deveria estar integrado com sua ferramenta de email marketing, já ativado e configurado com double opt-in, evitando problema com e-mails indesejados desde o instante zero.

Se você quer começar e não tem nenhuma ferramenta, recomendo a MailerLite.

Outra boa prática que vai fomentar a base e a leitura é enviar periodicamente, digamos a cada 15 dias, um e-mail, que pode ser automático, contendo as últimas postagens dos dias anteriores.

18.10 – Dicas para controlar o tráfego

Importante que parte do seu tempo também seja dedicado a divulgar o que você produz.

Se quiser que o usuário faça algo, que ele lhe forneça algum dado, em primeira instância peça a ele o que você quer!

Conserve sempre os links do seu site. Monitore links quebrados, corrija ou os remova.

Debulhe o Analytics e o Navegg se estiver utilizando. Descubra o que puder sobre sua audiência e comece a experimentar.

18.11 – Observe os melhores blogs

Não tem nada errado em admirar os grandes do seu nicho. Nada errado mesmo.

Inclusive você deveria mapear, seus benchmarks, seus agressores, seus concorrentes, e monitorar todos muito de perto.

Olhe os blogs deles, olhe a estrutura de conteúdos, as categorias. Veja sobre os assuntos que eles escreve mais.

Veja como eles fazem, como compartilham. Se inscreva nas newsletters e observe como eles as enviam.

Participe de webinars e cursos gratuitos que eles fizerem.

18.12 – Conseguindo novos visitantes

Bom além do Google, também é interessante conseguirmos visitantes a partir de outras origens.

Você viu que pode comentar nos blogs dos outros e eventualmente ganhar um backlink. Pode fazer isso em uma lista de blogs relevantes se tiver tempo.

Pode e deve fomentar o compartilhamento social. Pode também escrever como convidado em outros blogs, publicações, jornais.

Participar de eventos, workshops e Meetup pode lhe dar alguma relevância direta.

Melhorar a estrutura de conteúdo do site / blog pode ajudar também. Criar uma página de recursos.

Criar diferentes tipos de conteúdo, por exemplo perguntas/respostas podem trazer outro tipo de acesso ao seu site/blog. Criar uma série de posts do mesmo assunto.

Criar páginas específicas de conversão ou até landing pages pode ser interessante.

Publicar suas palestras e apresentações em sites como o Slide Share pode render links para você.

Garantir que o tema seja responsivo, o AMP esteja funcionando e o Google esteja visualizando o site como mobile first pode trazer tráfegos distinto a partir de usuários do mobile.

Se estiver produzindo vídeos, deveria aproveitar e fazer podcasts. Se não estiver, deveria estar fazendo!

Vá participar de projetos, assista a sua comunidade, compartilhe o que você sabe mais com que sabe menos.

Tudo o que você fizer e produzir em qualquer mídia, se for relacionado, deve estar linkado para algum post do seu blog. Pense nisso.

18.13 – Métricas a observar no seu blog

Depois de todo o esforço para atrair tráfego para o blog, é preciso saber como andam as coisas, os números, as conversões.

Vá atrás dos números do Google Analytics. Olhe quantidade de usuários, páginas, comportamento dos usuários, taxa de rejeição, tudo.

Vá ao painel do Navegg e olhe mais dados sobre seus usuários, ou sobre quem você realmente pensava que eles eram.

Vá e descubra a quantidade de gente cadastrada na ferramenta de email marketing. Se estiver fazendo envios olhe os dados de cada envio, aberturas, clicks, tudo.

Você devia colocar tudo numa planilha e observar a evolução mês a mês.

Você com o tempo vai dar mais importância a determinadas métricas, aos conteúdos mais lidos, aos termos de busca, então o que estou sugerindo aqui é a sua abordagem inicial.

As ferramentas estão ali para servir a você, tire o máximo de proveito delas.

Imagem padrão
Gustavo Tagliassuchi
Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.
Artigos: 556

Deixar uma resposta

Translate »