Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

SLA – Service Level Agreement

No início de junho, conversando com um cliente, este manifestou sua insatisfação quanto ao seu prestador de serviços de conexão, uma grande empresa de telefonia. Ponderei perguntando sobre o contrato de prestação de serviços e sobre o SLA, ele riu, desconhecia tais documentos.

Já no início de 2002, cerca de 59% das empresas brasileiras que utilizam serviços de conexão e data centers exigem de seus fornecedores os respectivos SLAs (Service Level Agreement – Acordo de Nível de Serviço) e SLMs (Service Level Management), e os que não exigem estavam cientes disso quando da renovação dos seus contratos.

Imagine o seu data center oferecendo um SLA onde você tem 99,95% de disponibilidade num ano, parece muito, mas no nosso ambiente de disponibilidade de 24x7x365, ficar mais de 6 horas fora do ar não é uma coisa muito agradável.

Não que seja uma tarefa fácil definir os melhores fornecedores, e ainda assim ter o melhor suporte técnico e jurídico para certificar as soluções e os aspectos legais que atuam em cada tipo de serviços. O seu fornecedor tem fornecedores com os SLAs atrelados aos seus serviços.

Logo, pense no pior ao fazer o melhor. Os melhores contratos são aqueles que nunca são utilizados. Não fique em dúvida, consulte seu prestador de serviço, seus parceiros de negócio, seu advogado. Tenha em mente manter o seu serviço vivo e principalmente, garantir a disponibilidade dos seus clientes. O sucesso deles depende do seu.

O meu é de 99,99% e o seu?

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *