Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Ops, he did it again…

Em 1995 quando tive o primeiro contato com um Mac, de início tratei ele com desdém, preferi o 486. Mas assim que ele ganhou mais memória e um monitor extra, imediatamente revi meus conceitos. Na época trabalhava com multimídia, a placa de vídeo dispunha já de dispositivo de captura, era o máximo. Sem falar nos HDs SCSI muito rápidos.

No final deste mesmo ano veio o segundo da família, desta vez um clone, mas muito mais potente. Essas máquinas, mesmo com a Apple me abandonando em 1996 em meio a crise, e mesmo eu sendo já o primeiro Apple Developer do sul do Brasil, trabalhou incansavelmente bem até 1998, e a partir daí os G3 lançados não tinham mais o mesmo brilho e nem a performance que se alcançava com os novos PCs. Além do preço, a performance não justificava mais.

E assim vieram os Pentium II, Pentium III, os Athlon, onde a AMD mostrou porque veio ao mundo. Aí então a cada consultoria informal sobre as vantagens de um Mac, não sendo o amigo da área gráfica com ressalvas, sempre ouviam a mesma resposta. Para que um Mac? Compre um ótimo PC (IBM).

Pois bem, o tempo passou, vieram os Pentium IV, a barreira do clock em GHz ultrapassada, RAIDs de drives IDE, placas de vídeo com 64Mb de memória renderizando milhares de polígonos simultaneamente, e o então G4, agregando cada vez mais periféricos dos PCs padrão IBM, o que mais aconteceria de bom ou de ruim?

Aí, como a mitológica ave Phoenix, renascida das cinzas eis que ressurge um Steve Jobs (o homem que certamente inspirou Bill Gates) com a 9ª maravilha do mundo. O fantástico, e por algum tempo insuperável, o Power Mac G5. Retiro a partir deste momento tudo o que falei sobre os Macs, sobre sua performance razoável e mediana, sobre a grande vantagem do custo/benéficio dos PCs, pois este é certamente um marco.

Não estou ganhando nada para escrever isso e nem para colocar este link, mas faça o favor de acessar este link e conferir os testes de performance. Que este seja o seu próximo PC. São os meus sinceros votos.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *