Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto e corredor muito muito amador.

O orçamento e as migalhas

Recentemente tivemos uma reunião na AGADi (Associação Gaúcha das Agências Digitais), onde entre discursos, alguns mais inflamados e outros não, se chegou a conclusão que na maioria das vezes disputamos com um concorrente, ou mais de um, determinado projeto composto de migalhas.

Explico, composto de migalhas porque normalmente as empresas (de todos os portes) não pensam muito, não planejam muito, e não tem muito conhecimento sobre o que devem fazer e porque devem fazer alguma coisa para a Internet. E mais ainda, reservar um orçamen-to específico para isto! Não as sobras do pequeno orçamento do marketing ou de TI.
Hora, se é a forma mais simples, eficaz e acessível, porque normalmente o web site é rele-gado ao terceiro plano?

Aí caímos no ciclo vicioso, o projeto de R$ 50.000,00 tem verba de R$ 5.000,00 e aí se faz à concorrência entre 10 fornecedores que se debatem para ver quem abocanha. Normalmente ainda sai para o guri da Internet, aquele que faz pela metade da verba disponível e desaparece antes do projeto acabar, ou faz tudo em flash e na hora de atualizar tem-se que fazer tudo novamente. Afinal economizar 50% da verba disponível já faz uma boa média na empresa.

Oras, boa parte dos fornecedores que está ali brigando se conseguisse o projeto entregaria algo de qualidade superior e custo idem, mas pelo preço combinado, porque tem metodolo-gia e qualidade naquilo que faz. É difícil diminuir seus requisitos mínimos para se adequar a uma verba menor que aquela necessária para desenvolver um bom projeto, assim como ficar cortando serviços do web site. Economiza no preço em detrimento das funcionalidades de quem vai utilizar o mesmo.

Não é feio não se saber o que é preciso fazer. É feio não querer aprender e descobrir o que é preciso fazer. E esta é a proposição inicial da AGADi, mostrar o que é preciso fazer, para se atingir resultados e se ter pelo menos as mínimas métricas que irão justificar os projetos futuros.
Está na hora de começar a pensar em Internet como ela deve ser, que resultados se busca com isso. E se você não tem a mínima idéia de por onde começar ou do que é preciso alterar no web site existente, ligue, pergunte.

Existem ótimas empresas que podem fazer um projeto para você começar a pensar em como vai executá-lo.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *