Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

O lubrificante da máquina do estado

Desde que comecei a ter algum tipo de interesse pelo que acontecia no cenário político nacional, e isso deve fazer com certeza 20 anos, percebi que a grande máquina do estado sempre utilizou o mesmo tipo de lubrificante, o dinheiro.

Entra governo e sai governo, a ladainha é sempre a mesma. Aquela Câmara dos Deputados congelada com a atual crise, e o Senado inerte, nada se faz para tocar adiante as matérias e pontos necessários para equacionar parte dos problemas do Brasil, todos só se preocupam agora com quem roubou ou recebeu mais do que o outro.

Não que isso seja bonito, ou regra, mas no meu entendimento é uma constante. Lembro dos domingos vendo o Jornal de Domingo da extinta Rede Manchete, onde o jornalista (que mais tarde foi deputado federal) Alexandre Garcia mostrava cenas do cotidiano daquela casa que deveria ser o centro das atenções do país pelos seus feitos, mas o é pelo que deixa de fazer. Cada domingo eram mostrados diversos deputados e senadores dormindo, comendo, lendo jornal, conversando, perturbando a sessão ou esbravejando na cara de outro.

A única coisa que realmente muda no Senado e na Câmara Federal é a cor do carpete que reveste o piso e parte da tribuna, e o forro dos grandes assentos de couro onde repousam aquelas nádegas bem tratadas.

Foram tantas as vezes que me revoltei com o descabimento dos políticos que por muitas vezes pensei em fundar meu próprio partido, o que acabei percebendo ser um tanto complicado. E apesar de pensar em me candidatar e mostrar como se deve fazer um trabalho decente, tenho ciência que não iria durar muito tempo em nenhum partido existente.

Mas voltando ao ponto inicial, me impressiona é que tem tanto dinheiro disponível para ser usado (e desviado), que sempre se tem oportunidade de se fazer grandes desvios com o dinheiro público. Eta pais mais rico este. Imaginem se ficassem uns 10 anos sem roubalheira, pagaríamos a dívida externa por completo com certeza.

Porém a realidade da maioria de nós é pensar que na próxima compra da cueca Zorba venha com o compartimento adicional recheado de dólares para fazer o pé de meia, ou que a próxima mala Samsonite tenha o fundo falso já com as milhares de notas de R$ 100,00 aguar-dando para irem para a poupança (não a do Banco do Brasil). Mas por hora é isso, político é assim mesmo, se não teve jeito até agora dificilmente terá jeito no futuro. Triste fim para os crentes (como eu), que sempre esperam o melhor dos piores.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *