Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto e corredor muito muito amador.

O fenômeno social da Internet

Algumas pessoas reclamam do tempo que perdem lendo os SPAMs, mas a realidade é que a Internet como meio de relacionamento tem muitas formas de fazer você ficar entretido – ou perder mais tempo.

A algum tempo, quando se tinha apenas os canais do IRC (Internet Relay Chat), muita gente perdia horas no computador, virava as noites nos canais, aqui no sul precisamente nos canais da Conex ou do Via-RS, em busca de alguma coisa, não se sabia ao certo o que.

Também nos primórdios os usenet newsgroups foram de grande valia para aqueles que buscavam informações e cultivavam o hábito de compartilhar informações e conhecimento com os desconhecidos a milhares de quilômetros.

O tempo passou, o Chat ganhou corpo e as pessoas passaram então, em sua maioria, a buscar nesta nova forma de relacionamento social, alguma resposta. Mas desta vez era possível enviar fotos também.

E surgiram alguns softwares com mais penduricalhos associados, o net meeting por exemplo se destacava, você se conectava a um servidor e além do Chat, vídeo em tempo real e som, ainda podia enviar arquivos e escrever no White board dos outros usuários.

E também já existiam os ICQs e Messengers da vida, que as vezes atrapalhavam o trabalho nas empresas em detrimento do relacionamento dos usuários das redes.

Note que cada um dos sistemas e softwares que citei acima eram divididos, por canais, por especialidades, por perfis de idade e também por orientação sexual. Diversos eram os segmentos e suas múltiplas divisões e classificações.

Mais recentemente proliferaram as paginas pessoais, onde o criador disponibilizava tudo o que achava de interessante e se conseguisse ainda poderia aparecer num mecanismo de busca, o que atraía alguns visitantes a mais. Ou ainda participaria de algum tipo de sistema de troca de banners, achando que isso atrairia milhares de novos visitantes as suas páginas.

Mas agora, recentemente, surgiram os tais de blogs (abreviação de web log), ou seja, sites normalmente de cunho pessoal, atualizados freqüentemente e com algum tipo de ordem cronológica em sua organização.

Mas não pense que somente os adolescentes desocupados se utilizam das diversas ferramentas gratuitas de hospedagem e atualização dos blogs existentes hoje.

Algumas empresas rapidamente perceberam o potencial desse nova forma de comunicação. Até porque existem blogs de diversos assuntos, muita coisa publicada tem até algum valor científico, muitas notícias e denúncias jamais teriam outros canais para se promoverem e caírem na boca do povo.

E mais, existem já profissionais e empresas especializados nisso, para ajudar a divulgar uma empresa ou produto, e as vezes até para tentar reverter uma imagem negativa sobre determinado assunto.

Fica aqui o gancho para a continuação, As Redes Sociais da Internet.

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *