Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Morte e Vida Severin@

Morte e Vida Severina é um livro do escritor brasileiro João Cabral de Melo Neto, escrito entre 1954 e 1955 e publicado em 1955. O nome do livro é uma alusão ao sofrimento enfrentado pela personagem.

No meu caso Severin@ é um endereço de e-mail hipotético que inventei para ilustrar uma situação recorrente nas nossas vidas. Em se falando de endereços de e-mail, utilizados para muitos fins, mas aqui especificamente para fins de e-mail marketing, é interessante observarmos um ponto que não é dada a importância.

E-mail tem um ciclo de vida. Isso mesmo, ele nasce, cresce, envelhece e morre. Sim, aceite isso.

Se sua base tem mais de 6 meses de vida, obviamente falando aqui mais da parte que não interage, você já deveria estar preocupado, sua base já está cruzando o cabo da boa esperança.

Isso quer dizer então que todo e-mail vai morrer?

Não, eu tenho alguns e-mails em uso desde o tempo que a Internet comercial começou a funcionar no Brasil, nem olho mais tamanha a quantidade de e-mails não solicitados que eu recebo.

Mas se eu cancelasse um deles, algumas coisas poderiam acontecer:

  • Meu e-mail morreu e foi para o céu. Não significa apenas que ele virou uma estrelinha, significa que quando alguém envia um e-mail para ele, receberia uma mensagem de erro sinalizando que ele não existe mais, o que chamamos de bounce. Até aí tudo bem.
  • Meu e-mail morreu e foi para o inferno. Aí que a coisa começa a complicar, ele pode ter virado um spamtrap, que nada mais é do que um endereço utilizado para detectar envios indevidos.

Mas indevidos porque se antes era devido? Pois bem, alguns provedores quando você cancela uma conta, deixam seu endereço numa espécie de quarentena, durante digamos 12 meses, nesse período ele responde mesmo como um bounce, inválido, usuário desconhecido.

Mas após este período ele vira o famigerado spamtrap.

E aí está o pulo do gato, mas quem manda e-mail para um spamtrap? Quem tem base velha!

Então o segredo da longevidade é manter periodicamente algum procedimento de manutenção, verificação dos e-mails, validação, algo que você consiga confirmar que o usuário ainda existe.

Não precisa incomodar o usuário com essas coisas, faça sua ferramenta de envio de e-mail marketing trabalhar para você.

Normalmente quem interage (visualiza, clica e encaminha é uma pessoa viva). Respeite a sua base, trate seus envios e seus usuários com a devida atenção e o resultado tende a ser melhor com o passar do tempo.

Invista em campanhas de coleta de e-mails e recadastro sim, mas sempre com double opt-in, é mais seguro e conserva sua reputação!

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS.Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total).Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil aforaMais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa.Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos.Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você.Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

1 Response

  1. 07/05/2014

    […] da Severina, e-mail nasce, cresce, envelhece e […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *