Eu não sou um bom vendedor

eu nao sou vendedor

Eu nunca fui um bom vendedor. Nunca me considerei de fato um vendedor. Então definitivamente não sou um bom vendedor.

Porém, como eu sempre precisava vender, nas minhas empresas, ia lá e vendia. Meus clientes normalmente gostavam do meu atendimento, eu ia lá e normalmente vendia, fechava, não perdia muitas oportunidades.

Minha taxa de propostas enviadas/fechamentos era alta. Na verdade eu nunca dei muita importância ao fato de não ser um bom vendedor, pois tinha que vender. Então ia lá e fazia.

Mais ou menos como a história do zangão que não podia voar…

De fato estou exagerando um pouco. Se tem coisa que fiz nos últimos anos foi ler muito e fazer alguns cursos de vendas, embora esse não fosse o meu trabalho diretamente, vender.

Mas sempre me perguntavam: Porquê tu vais fazer este curso se tu não é da área de vendas?

Justamente por isso, é uma fraqueza, preciso melhorar, aprender com os melhores. Então fui a alguns lugares, a algumas cidades, conversei com os melhores vendedores.

Mas tem uma pessoa que sempre me surpreende, sempre ligado, sempre com alguma sacada nova. Não que eu ache 100% do que ele faz adequado, mas ele tem um enorme dom de tirar a parte boa das vendas das pessoas.

O nome do sujeito é Ricardo Jordão Magalhães. Ontem ainda assisti um webinar dele, porque é sempre ver ele dando alguma dica nos vídeos que faz diariamente e incansavelmente, entregando muito mais do que as pessoas normalmente fazem, a maior parte das coisa de graça, sem esperar nada em troca.

E isso é difícil hoje em dia. Mas o cara tem uma luz interna que permite que ele faça isso de bom as pessoas. Mas vamos lá, em pouco mais de 1h ele falou muita coisa, e eu me dei ao trabalho de anotar algumas partes que me interessavam, então vou reproduzir aqui, espero que ele não me mande apagar.

Se você quer vender bem, tem que fazer algumas coisas, até básicas eu diria

  • Prospectar 50% do seu tempo;
  • Você faz prospecção mesmo? Qual hora do dia reserva para isso? Está marcado na sua agenda?
  • Bloqueie a sua agenda para prospectar, para de se enganar;
  • Vendas é um esporte de contato;
  • Não vendeu, a culpa é sua, pare de culpar os outros e a economia;
  • O cliente precisa:
  • Conhecer;
  • Gostar;
  • Confiar;
  • Aí você vai se vender;
  • Esse é o seu funil principal (acima);
  • O que você planta nos seus clientes?
  • A maioria dos vendedores só quer transar, ninguém quer casar, pós-vendas zero;
  • Vendas é uma filosofia de vida;
  • O chefe é ocupado, faça a sua lição de casa;
  • Não venda solução tecnológica, venda o problema que você resolve;
  • Use o idioma do cliente;
  • Use redes sociais, email marketing e telefone;
  • Sua meta não é fazer uma visita, é gerar uma notificação, se conecte com ele, curta, compartilhe e comente o que ele faz nas redes;
  • Se você tiver apenas R$ 5,00 não compre comida, não compre um livro, impulsione um post no Facebook;
  • Use mais o LinkedIn;
  • Faça mais vídeos;
  • Escreva mais, muito mais;
  • Participe de comunidades;
  • Comente, seja visto e lembrado;
  • Se você não gera conteúdo na Internet você não existe;
  • Não espere pelo marketing, gere seus leads;
  • Faça 8 ligações antes das 8h da manhã e 6 antes das 6h da tarde;
  • Faça 25 ligações por dia ao invés de mandar e-mail;
  • Não faça cold calls;
  • Use o Google Alertas para ficar informado;
  • Faça a abordagem do desconhecido elogiando e agradecendo, depois ele vai reconhecer você;
  • Use o Charlie App e saiba mais sobre as pessoas do seu interesse;
  • Use o Meetime para organizar suas ligações junto ao Pipedrive;
  • Utilize diferentes ferramentas de prospecção;
  • Você tem que se diferenciar;
  • Acredite no seu potencial;
  • Acredite no que você vende;
  • As pessoas precisam saber o que você faz;
  • O que elas vão fazer com essa informação é problema delas;

Vendas cura tudo!

Se você gostou vai lá no site dele, siga ele, tem muito mais!

Fiapo

Velha ave de rapina, estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, profundo admirador do WordPress, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto e corredor muito muito amador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *