Entregando tudo na caixa de entrada

Entregando tudo na caixa de entrada

Pode parecer meio clickbait isso, mas até palestra já dei sobre o assunto: Palestra na 1ª Maratona do Marketing Digital em Porto Alegre: Entregando tudo na caixa de entrada.

Ok, algumas coisas mudaram, e outras nem tanto. Se você realmente tem interesse em entregar tudo na caixa de entrada, então é melhor fundar uma religião, a coisa é uma utopia.

Vamos aos fatos, você pode sim entregar A MAIOR PARTE na caixa de entrada, mas nunca conseguirá sucesso absoluto, pois não temos controle de todo o processo técnico e nem sobre o que pensam os destinatários (e a IA) sobre nossos envios.

Entregando tudo na caixa de entrada

Pense em fazer as coisas básicas primeiro, não que elas sejam importantes, elas são fundamentais.

  • Assunto: faça direito, pense a respeito, dedique mais de 15 minutos a esse item;
  • Preheader: utilize sempre. Tente inclusive fazer teste A/B com ele;
  • Remetente: que seja de uma pessoa humana que leia as respostas;
  • Conteúdo: envie alguma coisa que faça diferença na vida das pessoas, não mais do mesmo;
  • Ainda do conteúdo: tente passar uma mensagem de alguma coisa importante, sem tentar vender diretamente;
  • Finalizando o conteúdo: se quiser que o usuário faça alguma coisa, então sinalize o Call to action da maneira apropriada, e ele vai fazer o que você quer;
  • Frequência: não envie demais e nem de menos;
  • Não fique repetindo envios, isso aqui não é rede social, normalmente a maioria recebe e lê;
  • Faça algo a mais por quem recebe os e-mails: se a oferta for a mesma que está no site ou nas redes sociais, então você está fazendo isso errado. Quem forneceu o e-mail e outros dados a você tem que receber mais que os outros;
  • Sua lista não é um caldeirão de sopa, é uma mesa de buffet. Para todos os gostos. Segmente, e utilize a segmentação. Segmentar e continuar enviando tudo para todo mundo não serve mais;
  • Double opt-in deveria ser algo colado na porta da sua geladeira;
  • Personalize: você pode personalizar tudo praticamente, não só o nome do destinatário, isso até o meu gato faz, personalizando o miado para cada pessoa aqui em casa. Se supere, surpreenda o destinatário;
  • A lista: a lista tem que ser sua. Nascida e criada por você. Fazer filhos na mulher dos outros normalmente dá problemas sérios, porque você deveria enviar suas coisas com listas alheias?
  • Se enviou, tem que olhar os relatórios. Se você não tem tempo para olhar os relatórios talvez nem devesse estar enviando e-mails na primeira instância.
  • Cuide das mensagens de erros, dos bounces, olhe e analise.
  • Se o usuário não quiser mais, deixe ele ir embora. Assim como quem não dá a mínima para seus envios, coloque na geladeira e depois descarte;
  • Se a maior parte dos destinatários (24%) lê na primeira hora após o recebimento, foque ações secundárias neste período;
  • De tempos em tempos faça uma pesquisa de satisfação;
  • Antes de enviar teste tudo. Se não souber fazer uma peça bonita e responsiva COMPRE uma, é muito barato;

Temos um monte de ferramentas no exterior, boas e bonitas, mas será que entregam bem para a sua base aqui na nossa terra?

Se a ferramenta de envios não pedir a você para configurar SPF e DKIM pelo menos desconfie.

Confira também se os IPs de envio da sua infraestrutura estão ok. Se estiverem em blacklists solicite a limpeza ao seu fornecedor, ou novos IPs em último caso.

Cuide dos pontos de coleta de e-mails, que podem ser online e também físicos. Utilize os recursos do marketing para solicitar o e-mail dos usuários de maneira adequada.

Pense nisso, qualidade de entrega não é uma coisa trivial, entregar para os grandes provedores de destino aqui continua sendo uma ciência cara e ingrata.

Vídeo

Photo credit: dharder9475 via Foter.com / CC BY-NC

Gustavo Tagliassuchi

Velha ave de rapina, estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, profundo admirador do WordPress, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto e corredor muito muito amador.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *