Comprando no Submarino

Bom, essa história é do tempo que o Jack London vendeu a Booknet para um pessoal antes da bolha da Internet explodir eu acho. O fato é que eles energizaram e profissionalizaram a coisa e a transformaram num potente Submarino!

Mas um bom tempo depois disso, somente em 2003 resolvi me aventurar pelas águas dessa empresa. Então adquiri na primeira compra uma moderna câmera digital de 2 megapixel, fantástica, moderna e gastadora de bateria.

O site até bom pouco tempo tinha uma característica muito chata, não permitia filtrar os produtos por preço, então você tinha que navegar de um lado para o outro procurando o melhor preço, ou a melhor relação custo/benefício. E ainda tem aquela coisa que me desagrada, exibe os produtos que não estão disponíveis no estoque. Mas isso é a minha percepção.

Bom, pagamento fácil de fazer, já emendei no cartão mesmo, a loja era estabelecida e tinha um bom reconhecimento do público no geral, eu que ainda não era cliente. Depois comprei ventilador de teto, impressora laser, pilhas recarregáveis, carregador de pilhas, livros, bússola, mesa de som, balança, CDs e algumas outras tralhas que nem lembro mais.

Mas nem tudo foi um mar de rosas, o normal era vir o pedido no praso, as vezes atrasava um pouco, mas nada que fuja ao normal dessa categoria de empresa. Porém o que me chateou, e me fez ficar quase 2 anos sem comprar lá foi uma coisa cretina, comprei pilhas recarregáveis certa vez, e o nome das pilhas assim como a descrição das mesmas no site, induziam o usuário a acreditar que eram de 800 mAh, o que na época era difícil de encontrar, e quem usava massivamente certamente acharia útil. A surpresa é que o nome e a descrição foram dados pelo Submarino, o produto que chegou era de uma capacidade inferior ao “sugerido”, digo sugerido porque enganar é feio e eu sou educado. Eu reclamei mas tipo, nada aconteceu.

Aí fiz o que devia, 2 anos ou quse isso sem aparecer por lá. E depois voltei porque realmente havia diferenças significativas de preço ou alguma coisa exclusiva. Mas como dizia meu avô, a gente conhece as pessoas fazendo negócios com elas!

Se quiserem navegar (ou naufragar), acessem: Submarino

Gustavo Tagliassuchi

Velha ave de rapina, estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, profundo admirador do WordPress, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto e corredor muito muito amador.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *