Gustavo Tagliassuchi
Estudioso da web e seus desdobramentos, nerd, micreiro, pai dedicado de três filhos (um é peludo), marido esporádico, empreendedor, especialista em desenvolvimento de software para web, pesquisador, escritor, professor, marketeiro digital, blogueiro, apreciador de cervejas artesanais, admirador do WordPress, co-organizador dos Meetups de WordPress em Porto Alegre, organizador do WordCamp Porto Alegre 2019 e co-organizador em 2018 e 2017, ouvinte das músicas dos anos 80, sobrevivente do colesterol alto, corredor muito muito amador e sócio da Agência Dupla.

Acabaram com os newsgroups?

Nos primórdios da Internet, por volta de 1991, creio que o seu maior uso era uma de suas mais poderosas ferramentas (para mim ainda é), os grupos de discussão da Usenet, ou Usenet Newsgroups.

Posso descrever a Usenet como uma imensa rede de distribuição de mensagens. Essas mensagens estão divididas em tópicos com nomes, classificados hierarquicamente. Alguns grupos podem ou não ser moderados por alguma pessoa ou instituição, mas a maioria é livre. É difícil acreditar que você envia um artigo ou um pedido de ajuda e sempre tem uma alma pra responder, e normalmente ajudar.

Porém de 3 anos para cá esse serviço vinha sumindo dos provedores, o que me fez assinar um serviço pago de um provedor especializado em newsgroups. Mas, para minha surpresa e alegria percebi que meu provedor começou a disponibilizar o serviço novamente, e o Google mantém agora uma base indexada dos news desde 1981. Claro que você não vai encontrar os famosos alt.bin com milhares de fotos de mulher nua, nem mp3 ou divx, se quiser estas features vai ter que pagar um provedor como eu. Ainda assim ele tem a maioria dos grupos lá, com cerca de 700.000.000 de mensagens. Tem de tudo, política, tecnologia, vida, debates pessoais, etc.

Eu estou cavocando esses news porque são realmente úteis, as vezes o suporte da Microsoft ou da Macromedia respondem mais rapidamente por ali do que através da abertura de um chamado técnico. E falo isso também porque nossos amigos pilotos das BBS transmitiam e recebiam as mensagens na calada da noite, fazendo ligações internacionais noturnas a 2400 bps ajudaram a fomentar este prático serviço.

Conheço algumas pessoas, aliás, doutores, que conheceram pessoas de instituições de ensino fora do Brasil através dos news e hoje ostentam títulos conquistados lá fora. Tudo se iniciou ali. Agradeço ainda ao pessoal da Ufrgs e ao velho Vortex, pelas conexões no passado. Se alguém utiliza os news e leu isso, por favor, me deixe saber!

Share

Gustavo Tagliassuchi

Eu sou Gustavo Tagliassuchi, minha formação é em tecnologia em informática, me especializei em desenvolvimento de software para a web, mas minha experiência profissional desde a década de 90 inclui editoração eletrônica, gráficas, desenvolvimento de aplicativos multimídia multi-plataforma, produzi muito CD-ROM, quiosques multimídia, fui o primeiro desenvolvedor da Apple no RS. Trabalhei em provedores de acesso à Internet, em algumas agências e também criei algumas delas (4 no total). Ajudei a fundar a AGADi que posteriormente virou ABRADi e se multiplicou Brasil afora Mais recentemente ainda fui sócio de uma empresa de e-mail marketing e monitoramento de mídias sociais, onde desempenhei diferentes atividades, como responsável pelo desenvolvimento de ferramentas oferecidas em padrão SAAS, fui responsável pelo suporte e atendimento de uma rede de mais de 18.000 marcas entre clientes diretos, canais e parceiros, além de dar apoio ao marketing digital da empresa. Mas isso tudo não importa, o que importa é que eu nunca deixei de fazer web sites, atender clientes de todos os tipos e portes, e ajudar amigos e parceiros a utilizar melhor a Internet e a melhorar a qualidade dos serviços que prestavam, e até a criar produtos e escalar os mesmos. Então, até influenciado por alguns deles, resolvi criar alguns cursos e transformar este conhecimento que adquiri em algo interessante para você. Não vou vender nenhuma fórmula mágica, não garanto que ninguém vá ficar milionário da noite para o dia, mas eu acredito que consigo acrescentar alguma coisa da experiência que adquiri nesses últimos 26 anos para ajudar você a melhorar e a solucionar alguns problemas dos seus clientes, vou lhe ajudar a fazer a diferença na vida dos seus clientes.

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *